Travis fala sobre o Musink e tattoos

Autor Por Wiu Eduardo em 17/03/2015

Em recente entrevista para o OCWeekly, Travis Barker falou sobre as atrações do Musink Festival que são suas coisas preferidas na vida, música, tatuagens e carros, e respondeu algumas perguntas sobre seu gosto por tattoos.

Travis disse, “Entenda e olhe para os artistas da tatuagem incríveis que temos este ano. É raro ter todo esse talento, e temos todos esses artistas ao mesmo tempo que Blink, Rancid, Sick Of It All, Yelawolf, Bad Religion, e outros pontos impressionantes. Nós queremos nos superar a cada ano. Nós só fazemos uma vez por ano, e queremos que as pessoas vejam que progredimos a cada ano.”

Leia agora a entrevista completa e traduzida pelo Action182.

Travis Barker getting tattooed.

Travis Barker getting tattooed.

Qual é a sua parte favorita ficando tatuado?

“Eu gosto de todo o processo. Eu gosto de poder sentar e conversar com meus amigos como Franco e Chuey, ou apenas sentar e conversar com caras como de desenhos animados Senhor e Mark Mahoney.”

Como é que a tatuagem mudou desde que você começou a ficar tatuado?
“Todo mundo está ficando cada vez melhor e melhor. O lettering é mais louco, a arte é melhor. Tudo sobre eles é melhor. Costumava ser perigoso ser tatuado em suas mãos e rosto, mas agora não é mais. É um pouco como quando eu estava andando de skate enquanto pequeno. Não era algo que um monte de gente fez, mas agora está em toda parte.”

Qual seria o seu melhor conselho para alguém que começa a sua primeira tatuagem?
“Obter algo que você absolutamente ame. Eu não tenho nada que eu iria ficar removido. Não fazer algo momentâneo, certifique-se que tem longevidade. Ficar com a família ou algo que é para sempre que não vai amadurecer estranho. Seja como “Eu fiz essa para os meus pops”, não fazer as coisas para as pessoas que podem entrar e sair da sua vida. As tatuagens são como as páginas de seu próprio livro. Eles são a história sobre mim, e tudo o que significaram para mim antes, elas ainda significa algo pra mim agora.”

Como você começou com tatuagens?
“Eu sempre amei cultura da tatuagem. Eu estava obcecado com isso antes mesmo de ser velho o suficiente para ser tatuado. Quando eu tinha 16, eu vi um cara em um Super Kmart com uma tatuagem no crânio todo, e foi aí que eu sabia que eu queria ser coberto de tatuagens. Eu costumava pendurar em torno de lojas e pular na cadeira sempre que podia. Eu tenho as minhas mãos e pescoço tatuados, porque eu sabia que não poderia conseguir um emprego normal, e que foi incrível. Isso me forçou a fazer algo incrível. Eu não recomendo para todos, mas funcionou para mim.”

Como a percepção das pessoas sobre suas tatuagens mudou no tempo que você as tem?
“As pessoas costumavam me perguntar o que aconteceria quando eu ficasse velho e tatuado, e eu lhes digo que eu estaria velho, tatuado e impressionante. Quando tive minhas tatuagens no meu pescoço e cabeça, as pessoas estavam como “Puta merda!” o tempo todo. Isso significava que você era um rebelde ou um fora da lei. Agora é muito mais aceito, você até vê policiais com tatuagens.”

O que você diria a alguém que está em cima do muro em fazer uma tatuagem?
“Vai ficar tatuado. Você só vive uma vez, sabe?”


Leia a entrevista em inglês no site da OCWeekly clicando aqui.

#ThatsTravisNigga