Um giro diferente com Mark Hoppus!

Autor Por brunobld em 26/10/2010

Aquele ditado de que quem espera será recompensado, é pura verdade, mas isso falarei mais para o fim da matéria.

Tive o prazer de ser convidado pelo próprio Mark Hoppus para assistir as gravações do programa dele hoje (26/10) a tarde aqui em New York. O programa passa todas as quintas às 19hrs (sabe lá deus em qual dos fusos dos EUA), e não é transmitido para o Brasil (e o que é transmitido para o Brasil?). Mas, assim que acharmos algum link para download colocaremos aqui.

Enfim, voltando ao assunto. Cheguei por volta das 13hrs (horário local) e logo já me identifiquei para entrar no prédio da Fuse TV, cheio de seguranças, mas todos muito legais. E o Adam (que trabalha na Fuse TV), estava lá para me receber e levar para conhecer o local.

Confesso que estava meio perdido, por mais que entenda tudo que falam e consiga falar tudo que preciso, é algo meio fora do normal, ainda mais se tratando de um convite do super duper boss do programa, o próprio Mark Hoppus. Mesmo perdido e andando até o estúdio onde são feitas as gravações para o programa A Different Spin, me encontro com Mark pelos corredores. O susto foi notável e em troca eu recebo um “Hi!”. Em troca eu lhe dei um “Hi!”, só porque ele foi legal comigo.

Brincadeiras a parte, não foi apenas isso, como ele nunca tinha me visto pessoalmente (óbvio, der!), falei quem eu era e logo foi notado a surpresa em sua face de que eu realmente estava lá, direto do grande Brasil (…sil, sil… eternamente rumo ao hexa).

Neste primeiro momento, conversamos pouco, ele perguntou como estava e quais eram os motivos por estar em New York. Chamaram ele para começar a gravar e fui para o estúdio com ele. Lá dentro, arrumei um canto para ficar e fiquei. Tinha bastante gente da equipe de gravação, produtores, amigos e alguns poucos sortudos que são escolhidos pelo programa para assistir a gravação.

As gravações começaram e ele continua o mesmo. Não para por um instante. Vai para lá e para cá. Corre, pula, faz gracinha. Mark Hoppus piadista! Mas sim, faz tudo isso com grande mérito e com um prazer que se vê de longe. E sim, ele pode!

Obviamente, eu estava nervoso. Depois de sete longos anos, mesmo já tendo visto 4 shows do blink-182 ano passado, estava a 2 metros do grande herói, já havia cumprimentado o mesmo, e estava ali fazendo parte da gravação de seu programa. Confesso também, que fiquei na minha até demais, pois estava dentro de um estúdio, cheio de regras e gente trabalhando. Eu sei como é essa vida, já participei de gravações, e realmente eu não queria atrapalhar, definitivamente.

E o que fosse rolar, que rolasse normalmente.

Se passaram mais ou menos 2 horas de gravações e risadas. Começou a primeira entrevista da noite, com o super astro (pelo menos aqui nos EUA) – Nelly – (que me parece ser um rapper, estou certo?). Bom, eu não estava ali para ver Nelly, por isso não sei e nem imagino quem era ele. Mas houve vários momentos de risadas e Nelly parece ser legal.

Acabou a entrevista e eu estava ali, perto de Mark, com toda a vergonha do mundo (mesmo que não seja envergonhado, mas nessas ocasiões né…), queto e só esperando pela próxima entrevista. Foi quando que Mark olha para mim e me pergunta:

– E aí Bruno, tá curtindo?

Eu respondo:

– Claro, realmente é muito engraçado!

E ele definitivamente, me surpreende:

– Então sente-se aqui comigo!

Quem disse que sou macho suficiente para contrariar Mark Hoppus? Fui sentar no sofá dele, onde ele entrevista os grandes artistas. Que honra! Sinceramente, não por sentar em um local onde famosos sentam, mas sim por ser chamado pelo seu herói para se sentar e conversar um pouco.

No rápido caminho até o sofá um filme passa pela minha cabeça, por todas as dificuldades e imprevistos que já aconteceram nestes 7 anos de Action182 e com certeza também as coisas boas e as ótimas pessoas que conheci. Há um ano átras quando fui fazer a cobertura de 5 shows do blink-182 aqui mesmo em NY e nos arredores, tinha uma entrevista e um encontro marcado com a banda, mas infelizmente DJ-AM morreu de overdose e tudo foi cancelado. Talvez ainda não fosse o momento certo. Talvez eu tivesse que esperar

Estava cara-a-cara com Mark Hoppus. Olho no olho. E aí todo o nervosismo e ansiedade foi embora e o papo fluiu.

Foram uns 10 minutos de conversa, tem coisa que nem lembro o que conversamos, estava literalmente na lua. Claro que eu tive que tirar com a cara dele por causa do péssimo português no twitter ano passado, e claro que ele teve que me zuar que era tudo culpa do Google Translator. Me contou um pouco sobre as gravações, que estão se saindo ótimas e que nós realmente vamos nos surpreender. Sem esse papinho de revista e entrevista. Também quis saber como foram as coisas por aqui ano passado quando ele me enviou os Octopus Drives. Ficou muito feliz em saber que vocês – SIM! Vocês, nós! – somos fãs diferenciados. Contei em alguns detalhes como foi toda aquela correria dos fãs. Também assuntos sobre a vinda da banda para o Brasil e a curiosidade dele saber como é tudo por aqui foram tocados, além de alguns recadinhos que me pediram para enviar.

Logo fizeram a chamada para a próxima entrevista e me desloquei do épico sofá. Tive o prazer de conhecer daí, LV, um dos managers do blink-182 e manager do próprio Hoppus, este que é diferenciado e sempre foi muito gentil e atencioso comigo por email, só tenho a agradecer a este cara!

Começou a entrevista com Kid Cudi, a última do dia. O cara também é canto/rapper, não conhecia, mas era bem legal. Rolou várias piadas pra variar e no final ele foi tirar foto com algumas pessoas.

Nesse momento estava ali, conversando com o Mr Hoppus novamente, agora para me despedir e agradecer.

Como diria Tom DeLonge: “Life’s just a game it’s just one epic Holiday.” E assim termino meu dia, com mais uma realização da minha vida. Só tenho a agradecer as pessoas que me amam e me apoiam. Com certeza estava com um pedaço de todos os amigos ali, de todos aqueles que apoiam o Action182, e com certeza de todos os que fazem e fizeram parte do Action182.

Sobrou tempo para mandar um abraço para Travis e Tom e ganhar um abraço carinhoso e um “See you in Brazil!”, daquele que definitivamente tem meu respeito eterno como pessoa a partir de hoje.

See you in Brazil Mark, thank you so much for a fucking nice epic day! We are waiting for you!