Um ano de Neighborhoods!

Autor Por Mona em 27/09/2012

Há exatamente um ano atrás a longa espera dos fãs e críticos do mundo inteiro acabava. No dia 27 setembro de 2011, Neighborhoods, o 6º álbum do blink-182, era lançado.

O álbum que esperamos oito anos para ouvir, vendeu 155.041 cópias em sua primeira semana de lançamento, e impressionou à todos que esperavam tão ansiosamente por ele.

“Nós nos separamos por cinco anos, e até lançarmos Neighborhoods, oito anos se passaram desde o nosso último disco, então não sabíamos se as pessoas se importariam ou não. Mas a reação delas tem sido muito boa, amaram o disco, então eu não poderia estar mais feliz com tudo isso”, disse Hoppus.

“‘Neighborhoods’ é uma referência ao subúrbio, onde eu cresci, e isso é uma boa descrição sobre o que nós três somos juntos, porque nós viemos de bairros muito diferentes. Mark cresceu no deserto, onde as bombas são testadas e Travis cresceu no leste de L.A, onde existem gangues e eu cresci em Poway. E mesmo agora, nós vivemos em diferentes bairros, Mark acabou de se mudar pra Londres, Travis vive no norte de Los Angeles e eu moro aqui. É estranho em como nós somos tão diferentes. E “Neighborhoods” é uma perfeita descrição de nós, em três mundos diferentes que se chocam e formam esse álbum”, disse Tom.

Durante esse ano, a banda realizou turnês pelos EUA e pela Europa, e já se prepara para o futuro. Tom DeLonge afirmou que o próximo plano é dominar o mundo, e Travis Barker disse que o melhor da banda ainda está por vir.

No Brasil, o Action182 promoveu o lançamento do álbum com um show cover da banda Strike, e ainda montou uma campanha para levar a banda para o topo do top TVZ.

A crítica do álbum no NY Times afirma que nenhuma banda punk dos anos 90 foi tão influente quanto o blink-182. E James Montgomery, da MTV, analisa o lado melancólico para qual a banda se deixou levar.  “Dado que Neighborhoods entrou em uma gestação lenta, você certamente vai entender a transformação. O blink cresceu, muito mais porque a vida forçou eles a isso, e querendo ou não, a maturidade se encaixa”. Eles amadureceram, mas a simplicidade nas músicas é evidente. Sabemos que ainda são o blink-182.

Em meios as críticas positivas e negativas que o álbum recebeu, o blink-182 ganhou reconhecimento por seu aperfeiçoamento no modo de fazer música, tornaram-se músicos experimentais, sem perder a essência que os trouxe até aqui.

Em uma nota sobre a banda no LA Weekly, essa evolução fica clara.

“Na verdade, para os fãs da geração musical anterior, o blink-182 está dois níveis musicais acima de rimas. A revista Rolling Stone chamou o álbum de 1999, o Enema of the State, de inofensivo, o que é profundamente incorreto. Simplesmente pela quantidade enorme de jovens universitários que pensam muito sobre música, e consideram o blink-182 uma das mais importantes bandas de todos os tempos, e, em cerca de uma década, as melhores músicas da banda se tornarão o classic-rock das rádios. De inofensivo, o blink-182 não tem nada, e são absolutamente merecedores. Silenciosa e inevitavelmente, o blink-182 se tornou uma banda muito influente, simplesmente porque os ratos de shopping que compravam seus álbuns estão ficando velhos o suficiente para expressar sua própria opinião”.