Tom DeLonge: “Eu saí do meu corpo. Foi uma das experiências mais estranhas que já vivi em toda a minha vida.”

Autor Por Isabela Rachide em 12/12/2014

UTI1811090_t940Mais uma conversa com Tom DeLonge: dessa vez ele falou ao Conversations With Bianca sobre suas experiências com sonhos lúcidos, o projeto The Dream Walker, seu superado vício em analgésicos, Angels & Airwaves, blink-182 e muito, muito mais.

Boa leitura!

Conheci Tom DeLonge há quase 20 anos. Ele tinha 20 e poucos anos e estava em turnê na Austrália com o blink-182, e eu era uma adolescente que deveria estar na escola, mas que preferia brincar de jornalista e entrevistar a sua banda para a minha fanzine (junção das palavras fanatic + magazine = revista editada por fãs). Naquele fim de semana eles tocaram em uma pequena casa de shows da minha cidade que ficou muito lotada, até pingava suor do teto, estava fumegante lá dentro. Eu comecei a me sentir tonta e a ter uma crise de ansiedade, então eu saí para me sentar em um conjunto de escadas que ficava na parte de trás da casa, tomar ar fresco e me acalmar. Minha visão ficou embaçada e eu pensei que ia desmaiar. Meus amigos estavam lá dentro assistindo a banda de abertura, então eu estava sozinha. A próxima coisa que sei é que alguém sentou do meu lado e perguntou se eu estava bem. Eu não conseguia ver quem era essa pessoa porque minha visão estava engraçada, mas eu pude ouvir sua voz me dizendo para respirar, enquanto me dava uma garrafa de água. Comecei a me sentir um pouco melhor e, quando dei por mim, percebi que era Tom. Ele se lembrou de mim de quando o entrevistei e pôde ver que eu estava em apuros, então ele esperou até eu me sentir melhor para voltar para dentro da casa. Mais tarde, quando o blink subiu ao palco, eles dedicaram uma música para mim (!!), e eu sempre me lembrarei desse momento com muito carinho.

Há dois dias, nos reunimos para conversar sobre o seu extraordinário e ambicioso projeto de arte com o Angels & Airwaves, a missão emocionante de criar e trazer para nós o “The Dream Walker” — um projeto multimídia que ganha vida na forma de um álbum, o curta Poet Anderson: The Dream Walker (que recentemente ganhou como Melhor Animação em um festival internacional de Toronto), um romance, histórias em quadrinhos e vídeos. O ponto crucial de todos esses elementos é que eles incentivam a sonhar — grandes sonhos! — para criar uma vida além dos seus sonhos mais loucos. Você é inspirado a se tornar o herói da sua própria vida, a tomar o controle do seu próprio destino e a ajudar, exaltar e se conectar com os outros ao longo do caminho para criar um mundo mais pensativo e consciente. Quão épico é isso? Continue lendo para saber mais.

tumblr_nbeg0jsCWq1tapftuo1_1280

Você está familiarizado com o trabalho de Joseph Campbell? Especificamente com sua série de TV e livros, O Poder do Mito?

Estou. Não tive muitas chances de mergulhar nos livros, mas muito do que temos pensado com a banda e com as coisas que estamos fazendo gira em torno dos estudos de Joseph e dos livros que ele escreveu. Eu consigo ver que existe algum paralelo.

Sim. Assim que eu acabei de assistir ao trailer do curta “Poet Anderson: The Dream Walker”, pensei imediatamente na obra de Joseph. Na mesma hora me lembrei de um pensamento do seu livro O Herói de Mil Faces: “O herói sai do mundo cotidiano e se aventura em uma região de prodígios sobrenaturais: ali, encontra forças fabulosas e alcança uma vitória decisiva. O herói retorna dessa misteriosa aventura com o poder de conceder bênçãos aos seus semelhantes.”

[Risos] Sim! É exatamente isso. ele é um órfão que é empurrado para esse mundo de sonhos, dos seus sonhos. No mundo dos sonhos existem os guerreiros sobrenaturais que disputam as intenções e as orientações dos seres humanos. Ele encontra suas habilidades, retorna ao mundo real e tem conexões com diferentes pessoas e com coisas que estão acontecendo, com base nesses eventos extraordinários. É tão engraçado, você entendeu! Você disse tudo de forma tão eloquente. Tem um monte de iconografia esotérica e temas “espirituais”, é uma base muito espiritual.

Angels & Airwaves é um projeto de arte que começamos há 10 anos. Pegamos elementos do comportamento humano, experienciamos e ficcionalizamo-los para contar histórias e, assim, poder fazer as pessoas pensarem sobre o seu lugar no universo, esperando que elas saiam com uma ideia que desafie e questione a sua própria visão de si mesmos. Estamos fazendo isso com qualquer coisa de consciência humana, assim como fizemos com o longa-metragem Love. Agora, usando os sonhos lúcidos como ferramenta para influenciar os acontecimentos do mundo real… Para se tornar o “poeta” do seu próprio destino. Estamos explorando mais dois elementos que serão radicalmente diferentes dos que sairão nos romances, na animação e nas músicas. Estamos trabalhando. Espero que todos eles tenham um efeito “espiritual” positivo no público. Esse é o meu objetivo.

Eu gosto é que nos pacotes do The Dream Walker Project há um caderno de 160 páginas, o AVA Dream Journal. É ótimo para incentivar as pessoas a registrarem os seus sonhos. É como se, fazendo isso, você se tornasse parte do mundo dos sonhos de The Dream Walker. Eu sinto que você pode aprender muito sobre você mesmo a partir dos seus sonhos e do seu subconsciente.

É! Eu realmente espero que as pessoas usem isso. Eu sei que pode não ser a primeira coisa que você quer pensar em fazer assim que você acorda, mas seria legal se o pessoal tentasse. Seria muito interessante ver o que sairia das pessoas. Estou muito curioso. Eu adoraria se eles escrevessem uma página, ou até mesmo um parágrafo, se fizessem um desenho dos seus sonhos… Eu adoraria receber tudo isso e colocar tudo em um livro. Seria um exercício interessante para ver sobre o que as pessoas sonham ao redor do mundo.

angels-and-airwaves-the-dream-walker-boxset-1024x1024

Quem tem sido um dos maiores heróis em sua vida?

Eu sou inspirado por um monte de pessoas, qualquer um desde John F. Kennedy até Stephen Hawking, o físico. Eu sou tudo que está sobre o mapa e me interesso por muitas coisas diferentes e estranhas. “Heróis” é difícil dizer, é uma grande palavra. Acho que talvez eu não tenha heróis, eu tenho professores.

Nas mídias sociais, há poucos dias, você postou sobre a música Tunnels ter sido inspirada no falecimento do seu pai. Você falou sobre essa experiência em entrevistas anteriores e ter mencionado isso mudou a sua vida. Como isso mudou sua vida?

Eu fui despertado pelo que acredito com sua alma passando através da minha. Era uma força tão profunda, que era uma força sobrenatural. Era eufórico, esclarecedor e elétrico. Isso sugou o ar do meu peito e eu sabia, naquele momento, exatamente o que era. Então meu telefone tocou e eles me disseram que, naquele momento, meu pai havia falecido. Isso me mudou de tal forma que eu nem sentia medo de morrer. E foi o que me ajudou a voltar e escrever o final da música de forma diferente. A música não teve um refrão por um ano e meio. A letra era apenas sobre duvidar da religião. Minha mãe era muito religiosa e meu pai não muito, e eu estava tipo preso no meio. Quando comecei a sair em turnê, eu odiava todas as religiões. Eu achava tudo uma brincadeira. Eu me tornei muito cínico sobre o que existe do outro lado. Eu sempre acreditei que havia alguma coisa, mas eu nunca soube o que era. Quando isso aconteceu, eu tive certeza absoluta que realmente existe algo no outro lado. E, depois disso, três coisas me aconteceram também que continuaram me reafirmando isso, e foram momentos muito, muito poderosos e sobrenaturais. Eu fiquei muito animado para voltar correndo para a família e carregá-los através dessa crise e também queria conversar com pessoas que estivessem dispostas a ouvir. É uma loucura, é tudo em uma categoria espiritual, paranormal. É emocionante, porque existe mais do que isso — essa é a maior coisa que eu tenho disso.

Seu pai era um homem de negócios (um executivo de uma empresa de petróleo) e você também é agora um empreendedor. O que ele te ensinou de importante a respeito dos negócios?

Meu pai se importava muito com relacionamentos, coisas como gastar tempo para falar com as pessoas e para aprender sobre elas para formar uma relação de admiração mútua. Eu passei muito tempo da minha vida tentando estabelecer relações com pessoas a fim de que, se eu precisasse de alguma coisa, estivesse procurando por algo ou estivesse no caminho errado, as pessoas seriam rápidas para querer me ajudar, porque elas gostariam de mim primeiramente como uma pessoa. Isso é realmente inestimável para mim. Quanto melhor você tratar as pessoas, mais elas vão estar dispostas a te ajudar. É pra isso que estamos aqui, pra ajudar uns aos outros.

No trailer de Poet Anderson: The Dream Walker, aparece a frase “se você encontrar o poder, você se junta a luta”. O que isso significa? O que é esse poder?

Na história do Poet Anderson, ele encontra a habilidade de controlar, manipular e usar o espaço-tempo a seu favor. Não estou descrevendo, mas isso é basicamente o que está acontecendo. Acho que haverá um momento em que as crianças tatuarão a palavra “poeta” em si mesmos. Eles vão fazer isso especificamente para identificar eles mesmos como sonhadores, como pessoas capazes de inverter o que sonham à noite e sonhar sobre criar suas experiências de um jeito que eles possam controlar e desfrutar. Isso é tudo.

Esse personagem, o Poet Anderson, aprende como saltar para o que está acontecendo e a criar e forjar o seu próprio destino. Ele é órfão e já perdeu tudo. Então, quando essas coisas acontecem, são muito importante para ele e para a sua vida. A única maneira disso acontecer, é ele despir a sua alma – você vai aprender mais sobre com o livro –, mas, basicamente, você tem que colocar-se lá fora e ser genuíno para expor o que você quer, quem você é e o que você está tentando alcançar. Há muitos paralelos entre isso e a época em que eu dei início ao Angels & Airwaves.

Quando eu saí da cena punk e comecei essa banda há 10 anos, eu passei a chamar registros de coisas como Love. Escrevi uma música chamada Adventure, que é sobre a vida esperando para começar e essas grandes esperanças, canções aspiracionais. As pessoas ficavam perguntando: mas que porra ele está fazendo? [risos]. Depois de um tempo, isso começou a ressoar e as pessoas perceberam que eu não estava desistindo. Não sou o primeiro, mas para essa geração e para aquele momento, era um risco para mim fazê-lo. Eu gosto de fazer coisas arriscadas.

Quão importante é o amor na sua vida?

Super importante! O amor é o único pedaço de cola que mantém tudo junto. Pode ser amor pelo seu marido ou esposa, filhos, família e amigos, até amor por um estranho que você cruzou na rua e parou pra ajudar… Tudo é amor. Nós fizemos uma experiência com o título do filme, queríamos que as pesssoas olhassem pra ele, então escrevemos a palavra “Love” usando um astronauta sentado em uma lua crescente. O filme estava prestes a perder tudo em torno de você para te fazer perceber que o contato mais insignificante que você ter com alguém pode ser muito importante se você nunca puder tê-lo novamente. Eu estou constantemente buscando o tipo de existência na qual você realmente valoriza as interações que você tem ao seu redor. Esse é um objetivo meu.

Eu sei que você é um sonhador lúcido. Já ouvi você falar sobre ter sonhos com paisagens e imagens muito específicas que são recorrentes.  Você poderia compartilhar com a gente um pouco dessas experiências?

Já tive algumas experiências que foram realmente interessantes, coisas de quando eu estava viajando pelo país com a banda em uma van. Eu acordei e olhei ao meu redor, através da janela para a paisagem, e eu já estava observando o que os meus colegas de banda estavam falando, então meu corpo acordou e se sentou. Então, de alguma forma, eu vivi a experiência de me sentar e olhar em volta, antes do meu corpo físico realmente se sentar e fazer isso. Eu senti isso acontecer! Foi tão profundo. Eu estava dormindo, mas eu observei tudo o que estava realmente acontecendo ao meu redor. Eu saí do meu corpo. Essa foi uma das coisas mais estranhas que eu já vivi em minha vida. Foi estranho, eu não tenho conseguido repetir a experiência.

Quanto às paisagens, tem duas coisas com as quais eu sonho. A primeira é uma meia abóbada realmente futurística, uma casa de vidro no meio de uma floresta de árvores toda iluminada ao anoitecer. A outra, é um grande campo de grama na encosta de um penhasco de calcário, e tem um grupo de pessoas vestidas com robes. As duas paisagens parecem ser do futuro, parecia que eu realmente estava lá mas eu não faço ideia do que estava acontecendo. Essas duas imagens terem ficado presas em mim é a coisa mais estranha.

Eu me pergunto qual é o significado desses sonhos… Seria legal trabalhar com isso.

É, seria!

Eu tive sonhos lúcidos onde eu visitava o mesmo lugar. É um deserto e tem elementos que sinalizam pra mim que é o mesmo lugar que eu visitei. Eu sinto que estou assistindo tudo de fora ou algo assim, e às vezes entro no sonho.

Que legal! Essas coisas são muito interessantes.

Com certeza! Quando o blink se separou você passou três semanas isolado para ter tempo de reavaliar sua vida e ter uma viagem “espiritual”. O que você pode compartilhar com a gente sobre essa experiência? O que você encontrou?

Bom… Você está perdendo a sua identidade, uma enorme mudança está acontecendo na sua vida, está perdendo o contato com pessoas que eram realmente próximas, mas com as quais você está tendo problemas, e está dando um grande passo na direção oposta. Lembro-me de lidar com todas essas coisas ao mesmo tempo. Eu já não era mais o Tom do blink-182 e tinha que me tornar o Tom DeLonge. Eu me perguntava, ok, qual é minha arte preferida? Quem sou eu, hoje? Quem eu me tornarei? Como vou trilhar meu caminho para chegar lá? Quais experiências eu quero viver durante esse caminho? Quem eu quero ter por perto me apoiando nessa jornada? Quem eu quero apoiar? O que posso fazer que me desafiará como artista e como ser humano? Foi quando a ideia do Angels & Airwaves surgiu, um caminho totalmente novo. Primeiramente eu tinha boas intenções, vindas como algo que você pode pegar mas que é invisível, como uma onda de rádio, uma frequência. Isso me levou a muito mais. Apenas boas intenções atingindo alguém através de um meio invisível — tá aí a origem do nome. Aqui estamos depois de dez anos.

Estou tão orgulhosa de você e de todo o trabalho positivo que você fez e continua fazendo. Outra coisa que eu quero te perguntar parece ser uma parte importante do seu caminho que contribuiu para quem você é e para o que você está fazendo hoje. É sobre o período desafiador em que você esteve viciado em analgésicos prescritos, depois de tomá-los devido a uma dor crônica nas costas e a uma cirurgia de hérnia de disco que você fez há anos. Você teve alucinações durante o processo de desintoxicação. Você sofreu de terror noturno (distúrbio do sono)? Notei que o herói do seu projeto Poet Anderson enfrenta isso.

Sim. Isso pode ser aterrorizante durante o processo de desintoxicação dessas substâncias. Falo pras pessoas assistirem ao filme The Basketball Diaries (O Diário de Um Adolescente, no Brasil), que mostra o que passei. Eu me lembro das imagens escuras de criaturas, de alcatrão e ranger de dentes. Era horrível, foi uma experiência horrível. Passei seis dias sem dormir. Era surreal. Não quero ter que passar por isso nunca mais! Não é divertido.

Por que é importante as pessoas valorizarem a arte?

Ideias ocidentais: é o nosso principal produto de exportação. Você ainda pode encontrar lugares distantes onde a única coisa que ouviram falar sobre nós são os Beatles [risos]. Eu acho que é importante, porque se não valorizarmos a indústria da arte, seja música, pintura ou filme, se não apoiarmos as indústrias, os artistas começarão a desaparecer e o mundo da arte, um dos maiores veículos para expressar nossas ideias, será severamente prejudicado. Eu acho que a maneira mais rápida de alcançar pessoas do outro lado do mundo e fazer com que elas se sintam do mesmo jeito que nos sentimos, é mostrá-las um filme ou algumas de nossas músicas. Esses dois tipos de arte são muito importantes. Já vi isso funcionar nas pessoas.

Eu vi um documentário com o autor de histórias em quadrinhos, artista e auto-declarado mago, Alan Moore. Ele falava sobre como os artistas e músicos são como os xamãs modernos. Ele disse: “Creio que a magia é arte, e que essa arte, seja a escrita, a música, a escultura ou qualquer outra forma, é literalmente magia. A arte é, como a magia, a ciência de manipular símbolos (palavras ou imagens) para operar mudanças de consciência. A verdadeira linguagem da magia trata tanto da escrita como de arte, e também sobre feitos sobrenaturais. […] É somente encantar, manipular palavras pra mudar a consciência das pessoas. Eu acredito que um artista ou escritor são o mais perto do que você poderia chamar de um xamã do mundo contemporâneo.”

Com certeza! Isso é incrível. Eu acho que a arte faz isso. Artistas — o que somos? Somos uma antena, estamos pegando algum tipo de sinal e criando coisas. Nós não estamos inventando a partir do nada. Eu acredito que está vindo de algum lugar. Sempre me considerei uma antena.

Tudo remete até mesmo ao nome do seu projeto de arte — Angels & Airwaves. Poderia ser significante para o que estamos falando, é um canal, um mensageiro navegando nas frequências lá de fora e colocando-as em forma tangível para que as pessoas possam digerir e tirar algo alegre e positivo disso.

É, nós somos um canal! É engraçado, eu nunca tinha pensado dessa forma. É exatamente assim que me sinto. Espero ter um bom efeito sobre as pessoas, espero que elas apenas deem uma chance. É o melhor álbum que já fizemos e esse projeto é o mais ambicioso, e sinto que o mais legal também, que eu já tentei. Obrigada por entendê-lo!

 ***

Fique por dentro de tudo! Veja abaixo mais novidades de Tom DeLonge e Angels & Airwaves:

Ouça AGORA o novo álbum do Angels & Airwaves

Tom Delonge conversa com o PureVolume sobre “Poet Anderson: The Dream Walker”

Tom DeLonge fala sobre o Angels & Airwaves, pesadelos, ficção científica e magia para a Alternative Press

Novo clipe do Angels & Airwaves: “The Wolfpack tem Poet Anderson como protagonista