Tarde de autógrafos com Travis Barker em Deptford!

Autor Por nath em 28/03/2011

Confira a tradução do artigo feito pelo site WestDeptfordPatch sobre uma tarde de autógrafos com Travis Barker realizada no dia 26 de março.

Centenas de pessoas esperaram na fila por um autógrafo de um baterista-ícone em comemoração do lançamento do seu novo CD.

Steve Mongiovi e seus amigos Phil Zumbano, Peter Knauer e Pat McKeon saíram de Forked River às 7:15 da manhã em sua missão para conhecer Travis Barker.

Eles chegaram no Deptford Mall por volta das 9hs e gastaram as seis horas seguintes guardando vaga perto do primeiro lugar da fila.

“Mas valeu a pena,” eles disseram.

Atrás deles, a fila crescia, e crescia, e crescia um pouco mais.

No total, 300 pessoas esperaram naquela tarde de sábado pela chance de conhecer Barker, baterista extraordinário de bandas como o trio de punk-rock Blink-182, The Aquabats, +44 e The Transplants.

O evento faz parte de uma turnê com seis paradas para autógrafos em honra do albúm de estreia de Barker, “Give The Drummer Some”, que foi lançado no dia 15 de março e está sendo promovido em todo país pela loja de roupas e confecções, Tilly’s.

Os 300 sortudos foram aqueles que conseguiram uma pulseira exclusiva – única forma de participar do evento – que esgotou antes das 3hs da tarde.

Segurança extra privada e a segurança do shopping estavam presentes para a tarde de autógrafos, mas todos estavam se dando bem, de acordo com quatro adolescêntes vindos de Williamstown e Mantua.

Chelsea Short e Kaitlyn Patton, ambas com 15 anos, notaram que não havia hostilidade entre os colaboradores do evento. Durante a espera, eles estavam tentando organizar as pessoas na fila com high fives.

“Definitivamente não funcionou,” disse Patton.

Anthony estava na fila desde o meio-dia e confessou ser um grande fã do Travis e do Blink-182. “Eu ouvi todas as músicas, desde o Buddha.”

A fila andou rapidamente conforme o astro assinava pertences pessoais, CD’s e apertava mãos. Um grupo de fotógrafos batia fotos dos fãs, em sua maioria adolescentes, enquanto os seguranças seguravam as pessoas atrás para manter a área tranquila.

Um dos fãs sortudos foi Bobby Gregg vindo de Browns Mills. Ele tinha esperado na fila por umas cinco horas junto com seus amigos, Andrew Sippel e Kevin Gross.

“Travis Barker é um dos nossos heróis,” disse Gregg. “Blink-182 é nossa banda favorita.”

O trio disse que já teve a oportunidade de conhecer Travis em um dos seus projetos paralelos, +44, quando eles estavam em Cherry Hill, mas eles perderam esta chance por chegarem três minutos atrasados.

“Finalmente conseguimos conhecer o Travis,” disse um alegre Gregg depois de ter conseguido seu autógrafo. Kevin Gross notou que Barker era muito educado e disse que apertou a mão do baterista.

Os meninos chegaram a atribuir, em parte, a formação da sua banda de punk ao baterista e ainda estavam em transe minutos após conhecê-lo.

“Eu estou tremendo agora,” disse Sippel. “É apenas uma descarga de adrenalina.”

Alguns músicos e bandas inexperientes estavam na fila, esperando ansiosamente para conhecer um dos homens que os inspirou a tocar. Tudo, desde camisas e bonés até guitarras estavam sendo autografados.

Xavier Acevedo e Ian Sawats de Lindenwold tiveram seus instrumentos autografados após uma longa espera na fila.

“Você acha que o momento nunca vai chegar,” disse Acevedo. “Mas quando chega, vale por toda a espera.”

Ele e Sawats fazem parte de uma banda local chamada Saints of Suburbia e estavam esperando desde às 10hs da manhã.

Anthony Friedlander e Steve Nuzzo, da banda Blackwood, tiveram sorte o suficiente e entregaram a Travis um demo da banda.

“Eu estou muito animado,” disse Friedlander.

E quanto a postura de Barker, sua amiga Meghan Cole resumiu de forma simples.

“Ele é como um de nós,” ela disse.

Travis estava dando os autógrafos com seus filhos ao seu lado, enquanto várias famílias aguardavam na fila.

Christine Soto de Millville trouxe seu filho Cam’Ron, após ele descobrir sobre o evento enquanto navegava na internet na escola.

Outra mãe dedicada chegou ali bem em cima da hora. Kim Noldar, número 300, esperou no final da fila, carregando duas camisas e uma cópia obrigatória do CD “Give The Drummer Some”. Seus dois filhos eram grandes fãs do Travis, ela explicou, mas não puderam ir ao Tilly’s.

A loja de roupas e confecções, geralmente não vende música, mas sim roupas de estilos surfista e skatista, calçados e acessórios. Mas contam com a venda de CD’s quando se juntam com algum músico para o lançamento de um albúm.

Esse último lançamento foi o primeiro CD solo do Travis com a participação de muitos astros do rap e do hip-hop, como T.I., Snoop Dogg, RZA, Raekwon e Lil John, e também de guitarristas como Tom Morello e Slash.

Jon Montgomery, que fiscaliza todo os eventos, promoções e a relação das bandas com a Tilly’s, veio da sua casa na California para certificar de que tudo correu bem.

Ele disse que a Tilly’s é responsável por 50% das vendas do albúm em todo o país, que hoje se encontra na nona posição do Top 200 da Billboard.

“É realmente um albúm muito bom,” disse Montgomery. “Vai quebrar novas fronteiras e criar novos limites.”