SITE EM MANUTENÇÃO

Nas últimas 12 horas o site recebeu mais de 500.000 tentativas de acessos por conta das notícias bombásticas em torno do blink-182 e do seu possível "novo hiatus" ou saída de Tom DeLonge da banda. Estamos tomando as devidas providências para que nosso site possa aguentar tamanha demanda, enquanto o site não volta manteremos essa página atualizada com todas as notícias traduzidas e com a total credibilidade que tem sido a marca do Action182 nos últimos 12 anos, nos fazendo representar o blink-182 no Brasil oficialmente da melhor forma possível.

Curta nossa página no Facebook e leia todas as notícias por lá:

ACESSE NOSSA LOJA OFICIAL, CLIQUE AQUI

ENTREVISTA SOBRE A SAÍDA DE TOM DELONGE

Todas as dúvidas com relação às notícias que envolviam a saída de Tom DeLonge do blink-182 foram esclarecidas. Em uma entrevista para a Rolling Stone, Mark Hoppus e Travis Barker desabafaram sobre todos os problemas que giravam em torno do guitarrista e confirmam: ele está fora do blink-182, e aparentemente não teve coragem para dizer isso com todas as letras publicamente.

Mark Hoppus - Travis Barker - Tom DeLonge fora do blink-182

Abaixo, você confere a tradução da entrevista completa, feita por Amanda Rockstroh e Ygor Gomes:

Parece existir uma contradição entre a declaração de vocês dizendo que Tom saiu da banda e ele dizendo que não saiu. Quem está certo?

Hoppus: Tudo é verdade. Eu vou te contar a história dos últimos dois anos do Blink-182: Nos últimos dois anos, nós estivemos conversando com várias gravadoras diferentes para tentar conseguir um acordo de gravação porque nós três decidimos que queríamos gravar o novo álbum com um parceira. Travis é sócio de um festival, e há alguns meses ele perguntou para o Tom e para mim se nós tocaríamos, e nós dissemos que não teria problema. No fim de dezembro, nós estávamos finalizando nosso contrato de gravação e na véspera de natal, nós três assinamos o acordo. Nós estivemos conversando sobre onde nós queríamos gravar, quais produtores usaríamos, qual dia queríamos começar. Tudo isso por e-mail. Eu acho que nenhum de nós conversou com o Tom pessoalmente por meses, porém tudo estava correndo positivamente.

Nós reservamos o dia 5 de janeiro para entrar em estúdio. Dia 30 de dezembro nós recebemos um e-mail do empresário do Tom, dizendo que ele não estava interessado em gravar, que ele queria estar focado em seus projetos não-relacionados com a música e que ele estava fora por tempo indeterminado. Foram enviados vários e-mails para esclarecer sobre a gravação do álbum e o show, mas o empresário nos respondeu com um e-mail direto que dizia “Tom.Está.Fora”. Esse foi exatamente o mesmo e-mail que nós recebemos em 2004, quando Tom anunciou o hiato indefinido.

Então, do seu ponto de vista, não houve nenhuma contradição?

Hoppus: Com certeza não. Tudo que ficamos sabendo a respeito dele, e-mails do empresário dele para a nossa produção, foi: “Tom está fora por tempo indeterminado. Para todos os efeitos, já chega para o Tom”.

Qual foi sua primeira reação a esse e-mail?

Hoppus: Para ser sincero, eu não fiquei muito surpreso, já que suas atitudes até então não demonstravam animação ou interesse. Mesmo que estivéssemos conversando sobre gravar e sobre datas, as coisas continuaram sendo adiadas. O Blink deveria ter começado a gravar um novo álbum há dois anos atrás, mas Tom disse que nós "precisávamos de um contrato para gravar", pois nos foi informado que o Tom não queria gastar seu próprio dinheiro para seguir em frente com o álbum. Até nossos empresários diziam "nós colocamos o dinheiro, para começar". Nós respeitamos que na opinião do Tom, nós precisávamos de uma gravadora. Então vários e-mails se sucederam , com letras maiúsculas, “NÓS PRECISAMOS DE UMA GRAVADORA”.

Vocês chegaram a gravar alguma música para o novo álbum?

Hoppus: Eu tenho coisas no meu HD em casa. Travis tem algumas ideias no estúdio dele. E eu tenho certeza que o Tom tem alguma musica no estúdio dele. Nós estávamos preparados para entrar em estúdio dia 5 de janeiro. Essa foi exatamente a sequência de eventos que aconteceu quando o Blink se separou há dez anos. Nós tínhamos coisas agendadas e recebemos um e-mail do empresário do Tom dizendo, “Tom está fora indefinidamente”. Mas da última vez, eu e Travis resolvemos parar e ficar de boca fechada. Mas dessa vez nós três concordamos em tocar esse show no Musink. Então como no ano passado, quando Travis não pôde ir para a Austrália e nós achamos um baterista substituto, dessa vez nós achamos um guitarrista para substituir Tom nesse show.

Qual foi sua reação com a afirmação do Tom que ele não havia saído da banda?

Barker: Eu acho que ele estava desapontado porque Mark e eu finalmente fomos sinceros. Antes, nós sempre o encobrimos. Foi assim: "Nós vamos gravar um álbum", e depois, "Tom se recusa a entrar no estúdio sem um acordo para gravação". Então todos tiveram muito trabalho para conseguir um acordo com uma gravadora e agora o Tom não faz mais parte do Blink-182. É difícil acobertar alguém que é desrespeitoso e mal agradecido. Alguém que não tem nem coragem de ligar para seus amigos de banda e dizer para eles que você não irá gravar ou fazer nada relacionado com o Blink. Alguém que precisa do empresário para fazê-lo. Todos deveriam saber como as coisas são com ele e como tem sido há anos. Quando nós voltamos com a banda após meu acidente de avião, apenas voltamos, não sei por quê, talvez porque eu tenha quase morrido. Mas ele nem mesmo escutou os mixes ou as masterizações daquele álbum. Ele nem se importou. O motivo para o Blink ter voltado, no fim das contas, é questionável.

Hoppus: As ações dele falam mais alto do que qualquer coisa que ele sente compelido a escrever em um post no Instagram. Estávamos tentando gravar um álbum há uns dois anos, concordamos em assinar com uma gravadora, e agora meu palpite é que Tom está envergonhado porque ele não quer mais fazer parte do Blink. Eu acho que os fãs sabem. Veja em cada conta de rede social e veja quem fala e promove Blink-182, ou quem está empolgado com Blink-182. Travis e eu estávamos prontos para ir ao estúdio dia 5 de janeiro. Isso fala mais alto do que qualquer coisa.

Qual o atual status do novo álbum?

Hoppus: Estamos concentrados no Musink Festival. Estou empolgado com isso porque Matt é tão positivo e feliz quando toca nos shows. Quando as notícias saíram hoje saiu hoje, senti como se um peso enorme saísse dos meus ombros. Finalmente, as pessoas sabem o que acontece com a nossa banda. Depois disso, veremos o que acontece. Da última vez que isso aconteceu, eu e Travis não falamos nada e fizemos o +44, que não era o Blink-182 porque não estávamos tocando músicas do Blink. Mas eu e Travis pretendemos continuar protegendo o legado do Blink-182 e continuar o que temos feito nas últimas duas décadas: continuar tocando nossas músicas.

Se esta saída é permanente para o Tom, você vê futuro para o nome Blink-182 sem ele?

Hoppus: Há burocracia envolvida nisso. Como Tom falou, ele tecnicamente não saiu da banda. Então tudo passará por advogados e empresários, vou deixar isso para eles. Eu só quero sair e tocar as músicas do Blink. Eu quero sair e tocar as músicas que nós estivemos tocando nos últimos 20 anos da nossa vida. É isso que eu e Travis queremos fazer. Se o Tom não quer fazer isso, o que é óbvio que ele não quer, tudo bem. Ele não precisa envergonhar-se ou tentar afirmar que ele está trabalhando secretamente no Blink.

Tom escreveu no Instagram, "Aparentemente, essas notícias eram 'aprovada' pela banda. Somos disfuncionais - sim. Mas, Cristo...." Como você interpretou isso?

Hoppus: O que imprensa publicou hoje que veio 100% de mim e do Travis e nos confirmamos tudo porque é tudo verdade. Não há ambiguidade.

Foi estranho ver o conflito da declaração que você lançou?

Barker: É apenas engraçado para mim. Eu acho que ele apenas está em choque por ter sido finalmente exposto. A verdade veio à tona. Apenas acho que ele não sabe como lidar com isso, então ele diz "eu não saí da banda, estou agendando shows do Blink enquanto nos falamos." Você não é o agente de shows. Todos sabemos que isso é mentira. Você não quer obrigar um homem crescido a fazer algo que ele não quer, mas se pronuncie e diga, "É, eu não quero mais tocar com aqueles caras. Estive dizendo que iria gravar um álbum novo com eles nos últimos dois ou três anos, mas só faço shows do Blink quando preciso de dinheiro."

Se o Tom falasse amanhã que gostaria de voltar e que os três membros deveriam começar a gravar o novo álbum, ele seria bem vindo?

Barker: Mark é o mais gentil, então vou deixar ele responder. [risos]

Hoppus: Eu e Travis e toda a organização do Blink-182 nos acomodamos por anos e tentamos ajeitar todas as coisas que Tom quis tentar. Tom liga em outubro de 2013 e diz, "eu quero lançar um EP no natal." Eu vivia em Londres e cinco dias depois, estou em um avião para Los Angeles para gravar, porque ele queria. Fizemos tudo o que podíamos para Tom e o que ele dizia que precisava. Foram anos andando para trás e eu preciso te falar: é humilhante estar em uma banda onde você precisa desculpar-se por uma pessoa o tempo todo. Foi assim por um longo tempo.

Quando o Tom finalmente disse, "Não vou para o estúdio ou não vou tocar nesse show", foi um alívio gigante, porque pelo menos ele finalmente havia dito. Mas depois dizer que, "eu não saí da banda," isso não é verdade. Não é sincero. Só desejo que Tom faça o que quer que seja que o deixe feliz e que pare de atrasar o Blink-182, para o que concordamos que faríamos fazer: tocar em shows, gravar músicas, continuar esse legado; e nos divertir fazendo tudo isso.

ÚLTIMAS DO FACEBOOK: