“O novo single lembra o passado, enquanto empurra para o futuro”

Autor Por nath em 15/07/2011

Leia abaixo a tradução da crítica postada no site da MTV americana sobre o novo single do Blink-182, “Up All Night”:

De volta em janeiro de 2010, Mark Hoppus estava lutando para descrever a nova música na qual ele estava trabalhando com o Blink-182 – sobre a qual a melhor descrição que ele fez foi “estranha” – quando de repente, quase que por acidente, ou talvez porque ele estava cansado de ficar procurando por adjetivos, ele mudou o rumo das conversas e começou a discutir sobre como os outros trabalhos de seus colegas de banda estavam influenciando no novo caminho do Blink-182.

“Eu acho tudo que todos nós fazemos fora do Blink-182 volta para o próprio Blink. E estar envolvido em todos esses projetos diferentes nos permite trazer novas ideias para a banda. Eu acho tudo isso muito positivo,” disse Hoppus. “Eu sei que é confuso para as pessoas porque todo mundo fala, ‘Tom está fazendo isso, Travis está fazendo aquilo e Mark está produzindo…por que vocês não estão focando no Blink?’ Mas eu acho que as pessoas precisam entender que é dessa forma que focamos no Blink. A gente sai e volta com todas essas ideias e peças diferentes, somos inspirados por outros artistas e pelo nosso trabalho com pessoas diferentes. E quando isso volta para o Blink, só ajuda a gente.”

“Todo mundo escuta coisas diferentes. Tom gosta muito do hard rock dos anos 80, bandas grandes e monumentais dos anos 80. Travis está por todo mundo musical e ele sempre vem com batidas tão sensacionais que eu nunca poderia imaginar,” ele continuou. “E eu tenho ouvido muito de indie rock. Então em algum lugar entre batidas maravilhosas de hip-hop, hard rock e indie rock, você vai encontrar o Blink.”

E agora, nós sabemos exatamente o que ele quis dizer. Porque na noite da última quinta-feira – aproximadamente 12 horas antes do planejado – o Blink-182 lançou “Up All Night,” o primeiro single do novo albúm. E é muito parecido com o que Hoppus havia dito: uma mistura de rápidas batidas, hard rock e sim, talvez até um pouco de indie.

Em resumo, “Up All Night” é a perfeita combinação de tudo que os membros do Blink-182 tem feito nos oito anos desde seu último álbum. As batidas e os remixes de hip-hop lembram o disco solo de Travis. Os efeitos eletrônicos vibrantes lebram o Plus-44. O refrão widescreen dão um toque de Angels and Airwaves, projeto de Tom DeLonge. E a produção impermeável lembra o trabalho do Mark com o Motion City Soundtrack.

Claro, a música também tem baterias que lembram o Box Car Racer (soa bem parecida com a música “Elevator”) e o último albúm do Blink-182 também. Mas ao mesmo tempo – como prova do talento da banda – não parece como um retrocesso…representa um novo Blink para um novo milênio, capaz de combinar uma sonoridade progressiva com acordes arrebatadores e um refrão fantástico.

Então, finalmente, o Blink está de volta. Com “Up All Night,” eles não só provaram que aprenderam com o passado mas que também desejam abraçar o futuro. E fazendo isso, talvez eles tenham provado que o velho ditado está errado: talvez seja possível ensinar novos truques a um cachorro velho.