Morte: A mudança extrema.

Autor Por brunobld em 29/03/2010

Há tempos que estou para fazer algum texto sobre isto, há tempos que penso em fazer, mas não faço. Mas e daí? Aqui estou eu.

A Morte é algo que entristece as pessoas, mas por que? Elas não sabem ver a Morte como ela deve ser vista ou não sabem nada sobre ela?

Ninguém sabe sobre a Morte, até morrer, e quando morrem não estão aqui para falar e contar sobre a vida que existe após o fim da vida, se existe é claro.

Morte triste é aquela que é forçada, que leva a pessoa por intermédio de alguém. Morte feliz é aquela que o destino preparada, os olhos se fecham, e sua alma vai embora.

Isso no conceito popular. Ou até talvez, que o seu Deus leva a pessoa embora, levando em conta sua religião.

A Morte pode ser dolorida, ou tranquila. Pode ser rápida ou demorada. Sofrida ou sem sofrimento. Nunca diria prazerosa… não sei…

Em nossa vida há mudança. Nascemos, crescemos, vivemos, chegamos ao nosso máximo, adoecemos, morremos. A vida é uma mudança constante.

E nela, existe a Morte. A última de nossas mudanças. Talvez a melhor de nossas mudanças.

As pessoas temem a Morte ou a dor? Temem a saudade ou a solidão?

A tristeza que você sente, ás vezes significa o tamanho da saudade que você sente da pessoa que partiu.

Aquela que deixará um buraco que nunca mais será tapado. Ou aquela que com o tempo perderá o lugar para uma nova.

Se prepare para a Morte, de todo o ruim talvez ela não seja o pior, talvez ela seja a mudança extrema do ser humano, talvez seja para melhor.

Me siga no Twitter: @brunobld

Bruno Clozel (BLD) tem 21 anos, é designer, fotógrafo, baterista e dono do Action182. Ah, também é polêmico. Desculpe pela sinceridade e por achar isto da Morte. Sinto dor, tristeza e saudade quando alguma pessoa querida por mim parte para outra. A verdade ás vezes doí mas te faz mais forte. Meu texto talvez te deixe mais confuso e não é verdade absoluta, muito menos parcial, porém a Morte é uma verdade segura e certa, e um dia você descobrirá ela.


OBS: Um grande Mestre partiu hoje, ele, Armando Nogueira, jornalista e ex-diretor da TV Globo, comentárista entre tantas outras coisas que fazia com prazer e qualidade expecional. Foi dele a inspiração do título do texto e a inspiração final para terminar e publicar o mesmo. Segue um pequeno trecho, no qual este grande ser humano, citou:

“Existe uma mudança extrema na vida do ser humano, que é a mudança da vida para a morte, eu não sei o que virá depois, mas eu tenho uma desconfiança: É que quem morre muda e quem muda melhora. Muitos amigos morreram e tenho notado que todos eles melhoram com a morte. Eu não estou desejando a morte, mas também não estou considerando a morte o fim do mundo. Pode ser o começo de outro mundo, pois a vida é exatamente MUDAR.”