Mais uma entrevista com o Sr. Octopus

Autor Por Márcio Medeiros em 04/02/2010

O site ROCKINIGHT fez à umas semanas atrás uma entrevista com o Mark Hoppus.
Confira a tradução dessa entrevista logo abaixo:

Mark H.

Nos últimos anos, Mark Hoppus mostrou seu outro talento musical que se estende para ao outro lado do estúdio. Mark fez produções inacreditavelmente impressionantes com algumas bandas pop-punk atuais, como Motion City Soundtrack e New Found Glory entre vários outros projetos. Quando Hoppus não está em turnê com sua própria banda – Blink-182, ele trabalha exclusivamente no Opera Music, um espaço em Los Angeles onde ele é co-proprietário juntamente com o baterista, Travis Barker.

Onde surgiu o Opera Music?
Há alguns anos atrás, eu e Travis compramos um estúdio em LA, como um espaço de projeto.

Com o que vocês gastariam todo o dinheiro que acumulam?
Nós colecionamos muita coisas. Como objetos e artes vintage e etc. Travis tem cerca de quatro diferentes kits de bateria, e eu tenho um monte de baixos, violões, guitarras. Também gastaria muito dinheiro com microfones gigantes.

Quais são seus pontos fortes como produtor?
Eu acho que eu sou um bom mediador. Eu acho que sei lidar bem com pessoas diferentes e personalidades diferentes dentro de uma banda. E também sou bem objetivo sobre o que funciona e o que não funciona em uma canção. Acho que eu tenho uma boa noção do quanto é duro criar idéias originais e não deixar coisas que parecem ser pequenas e simples passarem despercebido.

O que você aprendeu e quanto de experiência você ganhou com o Blink?
Eu aprendi tudo. Sobre trabalhar com o blink, e sobre trabalhar com Jerry Finn, que na minha opinião foi o nosso maior produtor. Algumas pessoas tem grandes habilidades com letras, composições. Enquanto outras são muito habilidosas com criações de som, melodia. E com ajuda do Jerry, temos ambos. Ele também nos passou um ótimo humor no estúdio e é o que eu também tento fazer em meus projetos como produtor.

O que é mais importante em um processo de gravação?
O estúdio é um ambiente muito estressante para os artistas, pois enquanto você espera algo para um álbum, outras pessoas tem idéias e pretensões completamente diferentes da sua. Argumentos surgem, algumas discussões entre integrantes também surgem. Mas você precisa ser capaz de pegar um pouco de cada idéia, e disso ter um bom resultado final. Grandes coisas acontecem quando as pessoas se entendem e tentam algo que nunca tenham tentado antes, mas, para isso você tem que falhar algumas vezes e aprender com os erros.