Hiatus? Nem pareceu…

Autor Por Márcio Medeiros em 24/07/2009

Saiba como foi o primeiro show da Summer Tour na visão do James Montgomery da MTV Americana:

Blink-182 prova que não perdeu o passo em pontapé inicial da turnê em Vegas

LAS VEGAS – “FDP, mer*a, por*a”. Essas foram as primeiras palavras do Blink-182 aos fãs na quinta-feira à noite no Hard Rock Hotel & Casino, depois de duas músicas no primeiro show de sua maciça Summer Reunion Tour.

Quem as falou foi o Sr. Thomas DeLonge – que realmente tem um talento para esse tipo de coisa – e, no mínimo, elas serviram para que todos notassem que embora ele e seus companheiros possam ter ficado mais velhos, passaram quase meia década longes um do outro, lançaram vários projetos e linhas de roupas, estrelaram programas de TV, começaram famílias e se tornam padrinhos de uma cena que nunca pretenderam criar, eles realmente não mudaram nada.

E esse foi basicamente o tema do show da quinta-feira à noite, que apesar de alguns sinos extras e assobios (sem falar de uma bateria rotativa), foi simplesmente um grande show do Blink no seu cerne. Nostálgico não foi. Pateta, engraçado, alto, com voz rouca, singelo e profano ele com certeza foi.

Abrindo com “Dumpweed”, do grande Enema Of The State, em seguida indo de cabeça para baixo com “Feeling This”, de seu último álbum auto-intitulado, o Blink não demonstrou nenhum sinal de ferrugem ou nervosismo – esta foi, afinal, o pontapé inicial de sua primeira turnê desde 2004. Pelo contrário, foi como se eles tivessem saído de uma cápsula do tempo, perfeitamente preservados. DeLonge ainda gastava sua guitarra (e gritava as palavras como um louco), Mark Hoppus ainda mandava demais em seu baixo, e Travis Barker ainda arrebentava em sua batera (sem camisa).

Eles tocaram uma boa quantidade de hits (após a saudação de abertura de DeLonge, “The Rock Show” foi seguida por “What’s My Age Again?”, “First Date” e “Adam’s Song”), e algumas coisas menos conhecidas (“Not Now”, “Going Away To College”, ” Anthem Part Two”), todas as quais foram engolidas vivas pela multidão suada e berrante. Ah, e as brincadeiras entre as músicas? Bem, vamos apenas dizer que eles nunca perderam o passo nesse departamento, também. Vale a pena mencionar que cerca de 90% do material foi inconveniente, mas algumas sacanagens da noite incluem uma paródia gigante de Waylon Jennings, “The Dukes of Hazzard” antes de parar e dizer, “Eu tenho 37, a propósito… pum!”, DeLonge mencionando cerca de 15 cenas diferentes em que o público poderia ter relações sexuais com vários membros da sua família.

Isto não quer dizer que todo o show foi um contínuo lenga-lenga. O Blink também mostrou que com a idade vem a capacidade de brincar no momento certo, e eles exibiram seu repertório em muitas pausas estratégicas, incluindo uma longa e melosa versão de “I Miss You” e uma versão mal-humorada de “Stockholm Syndrome”, que começou ameaçadora e sombria, então evoluiu para um exercício de retalhamento maluco.

Travis também teve a sua chance de brilhar, com um longo solo de bateria que o deixou socado em versões de músicas como “Dirt off Your Shoulder” do Jay-Z, enquanto sua bateria girava rapidamente em 360s (infelizmente, não tivemos toda a versão “Barker e sua batera passa sobre o público” da noite, uma vez que o Hard Rock era um local muito pequeno). Essa também foi recebida com muitos aplausos e berros, e várias fotos de celulares.

A exibição pirotécnica de Travis veio logo depois que o Blink tinha acabado seu show. Seus colegas de banda então voltaram a surgir dos bastidores para arrebentar com uma versão retro: “Carrossel”, de seu álbum de estréia Cheshire Cat, de 94, e – é claro – “Dammit”, do Dude Ranch, de 97. Era a última que a moçada na platéia clamava, e quando sua introdução rasgada começou, a multidão foi ao delírio, pulando o máximo que podiam, jogando os punhos ao ar e surfando pela galera.

Então, enquanto os gritos finais ainda ecoavam no palco, DeLonge volta ao microfone, em busca de uma forma perfeita de terminar a noite. E é isso que ele falou:

“Vocês são tão fofinhos, car*lho! Vocês são sexy pra ca*ete! Eu realmente não sei o que dizer. Pun*eta!”

Foi realmente um final agradável. Algumas coisas nunca mudam.

Tradução feita pelo K£V¥Ñ-¹8²

_______________________________________________________

Fiquem atentos que durante todo o dia e o restante da Summer Tour 2009 iremos atualizar com notícias, fotos, vídeos tanto o Action182.com como Blog da Summer Tour.