Ilustrador brasileiro trabalhou com Mark Hoppus para sua linha de roupas

Autor Por Danilo Guarniero em 28/05/2014

1912181_681530575240350_471033767_n

Algumas pessoas já devem conhecer o trabalho do Fernando de Paiva, mais conhecido por Fernando Travis, que é ilustrador e sempre publica desenhos em suas redes sociais com alto grau de fidelidade. Já postamos os desenhos dele no Facebook algumas vezes e sempre fizeram o maior sucesso.

Mas o que algumas pessoas podem não saber é que o Natalense de 26 anos já trabalhou com o próprio Mark Hoppus para sua marca HiMyNameIsMark. Conversamos com ele sobre seus projetos e inspirações, e o Fernando também falou um pouco sobre como foi trabalhar com o baixista do blink-182 sendo um fã da banda, além de possíveis trabalhos com Travis Barker. Leia a entrevista completa logo abaixo e conheça mais sobre o trabalho do artista!

E ah, fique de olho nos trabalhos do Fernando em seu Facebook e também pelo Instagram. Vale muito a pena conferir!

_

Vimos que você passa bastante tempo fazendo desenhos. Você trabalha como ilustrador profissional mesmo ou é um hobby apenas? 

Sim, sou ilustrador, trabalho com isso a sério desde 2009. E em 2009 comecei minha carreira de tatuador! Comecei a tatuar e a desenhar fazendo experimentação, na pura aventura. Tinha um grupos de amigos que gostava de desenhar no shopping da cidade. De fato começou como hobby, mas isso me encaminhou a vida de ilustrador e de tatuagem.

Você é formado em alguma coisa que te fez começar a desenhar ou é um dom natural que você acabou descobrindo por acaso?

Eu sou formado em Artes Visuais, me formei ano passado! Eu particularmente não acredito em dom, encaro desenhar como matemática: quanto mais se exercitar e praticar, mais você consegue melhorar. É uma questão de hábito e estudo, assim como qualquer disciplina.

tom_delonge_300_by_fernandotravis-d60jfgt

Quais são suas principais influências e inspirações?

Cara é difícil listar, mas vamos lá… hahahah Influência local não posso deixar de citar meus amigos Alex Fontes, Flavius e Wanderline Freitas! Pessoas que desenham comigo e me ajudaram muito e ajudam até hoje! No Brasil, eu cito o Benicio e o Shiko como grandes ilustradores. O Shiko é um cara extremamente talentoso e simpático, tive oportunidade de conhecer recentemente. Fora do país eu gosto muito do Max 242, que trabalhou para o Blink, The Wild Ones e Famous Stars & Straps, Chase Tafoya , Ryan Mullins, Alvin Chong, Dmitry Samohin, Simon Hayag, Chuey Quintanar, Franco Vescovi, etc. Enfim, a lista é imensa, mas tenho acompanhado muito o trabalho dessa galera recentemente.

Falando sobre música, além de blink-182, tem alguma banda favorita?

Claro! Inúmeras! Hahaha Eu não posso deixar de citar The Transplants e qualquer projeto paralelo do Travis Barker ou que ele já participou. Mas tenho um gosto musicial bastante variado, escuto de progressivo a metal, Dream Theater, Cynic, Orphaned Land, Pantera, Death, Queens of the Stone Age, são bandas que não põem faltar no meu playlist.

Um álbum que está ouvindo bastante atualmente?

Atualmente estou ouvindo muito “In Warzone” do Transplants e o LP do Psycho White, isso embala muito minhas madrugadas de ilustração.

Como foi trabalhar com Mark Hoppus? Como começou essa parceria e como esse processo foi tomando forma?

Acho que dizer que foi irreal ou sonho é pouco! Hahahaha Eu acompanho o trabalho do Mark no Blink e seus projetos paralelos desde 99. Se não fosse o blink182, provavelmente não seria ilustrador, por incrível que pareça. Pensei em seguir carreira de baterista, mas deixei de lado na medida que me envolvia com o desenho. Mesmo assim não deixe de seguir o caminho da arte… não foi na musica, mas sim na ilustração.

A parceria surgiu de uma forma totalmente aleatória, pois fiz um fanart e postei no meu Twitter, e consegui um comentário do próprio Mark Hoppus. Imagine o que é pra um fã isso!? Hahaha não satisfeito, postei o mesmo trabalho na HMNIM, e obtive um grande elogio do diretor de arte, que pediu meu contato pra conversarmos. Esperava qualquer outra coisa, menos ser convidado para participar da primeira tiragem de camisas da HMNIM ao lado de Rich Simmons e Invader, dois grandes artistas. A proposta era fazer algo na pegada do logo deles de forma realista. Deixei algo realista e com uma forma ilustrativa e eles gostaram tanto que estamparam o sketch (rascunho), ainda não divulgaram a versão final, na verdade não sei se vão divulgar.

6c4fc3a8f2ec11e2a2c122000a1f9d4d_7

Desta forma, foi uma grande alegria ver minha estampa ser a primeira estampa a esgotar no site. O próprio Mark Hoppus distribuiu ela em alguns shows do blink-182, vi muitos fãs postarem camisas que ele jogou pra os fãs, inclusive vi um dos integrantes do All Time Low usando ela hahaha. A estampa ou o projeto é sempre intermediado pelo diretor de arte, mas quem dá a decisão final é o próprio Mark. Passa pelo critério dele, ele é uma pessoa fantástica, é tem uma excelente noção de arte, isso pra mim foi uma novidade. Acho que um das grandes frases que ouvi partiu dele: “fazendo algo que gosto e sendo feliz”, isso quando adolescente pra mim repercutiu muito.

1660692_692472250794431_1403096323_n

Já fez trabalhos para outros artistas famosos também?

Pra artistas por comissions não, mas trabalhei pra Sullen Clothing e uma de minhas pinturas está na casa da mãe do Yelawolf em Alabama. Já tive o prazer te ter alguns trabalhos postados pelo Rittz da Slumerican e do ator Danny Trejo.

E você nos contou antes que talvez rolaria algo com Travis Barker. Como aconteceu e como está essa proposta?

Cara, ansioso é pouco! Mas esta sendo um processo bem lento, não posso revelar muita coisa, mas fiz uma ilustração pra campanha de marketing deles [Famous Stars & Straps], que talvez seja publicado no outono, pois ocorreu algumas mudanças. De qualquer forma, tem duas ilustrações que estão por ser aprovadas pelo próprio Travis. Ouvi comentários que ele gostou muito do meu trabalho. Uma vez ou outra ele comenta algo em meu Instagram, e já tive o prazer do próprio Travis postar um do meus trabalhos que fiz  a partir da foto do Ryan Loco em sua página do Facebook, Instagram e Twitter. A proposta aconteceu quando eu enviei meu portfólio pra direção de arte e fiz alguns testes. Acho que seria uma das maiores realizações ver meu trabalho estampado em uma camisa. Travis Barker foi uma grande inspiração pra eu insistir na carreira artística. Provavelmente se não fosse o exemplo de vida dele, eu não seria tão persistente em meus estudos. Algum dia espero poder ser um collabs da Famous Stars & Straps.

the_transplants_by_fernandotravis-d6fkmqc

Como é o processo de criação para você? 

Cara, eu geralmente sempre busco referências. Referencia é o poder! Quando se está inspirado creio que flui melhor, no caso do “ inspirado” é um trabalho que pra mim seja interessante fazer.

Quais os materiais que você utiliza e mais gosta de usar? Gosta de experimentar coisas novas nos seus trabalhos?

Vida de ilustrador é bastante experimentação. Quanto mais conhecimento, melhor! Mas os materiais que mais utilizo são lápis de cor e marcadores. Estou testando novas mídias como: aquarela, aguada em nanquim, acrílica.

tardes_produtivas_ii_by_fernandotravis-d39rjve

Tem algum trabalho, entre todos os que você já fez, que é o seu favorito?

Eu sou muito criterioso em relação a trabalho, particularmente eu não gosto muito do que produzo hahahaha

Hum… se é pra escolher, vamos lá! Acho que é inegável dizer que o retrato que fiz do rosto do Travis deu muito o que falar. A maioria dos trabalhos e publicações que conquistei foi por causa desse trabalho, que fiz durante minha graduação inteiramente com lápis de cor.

ambiente_de_trabalho_by_fernandotravis-d39lr6l

Pô, valeu pelo tempo, Fernando! Se tiver mais alguma coisa para acrescentar aí, pode ficar à vontade!

Cara, mesmo sendo artista é impossível não dar uma “tietagem” em nossos ídolos, concorda? Mas acho que uma das grandes realizações foi ver meus trabalhos postados no Instagram oficial do blink-182 e do Travis Barker, e ter comentários positivos deles e dos fãs. Agradeço a oportunidade do Action182 e espero que vocês e os fãs brasileiros possam torcer por mim, para fazer mais trabalhos e poder representar nosso pais positivamente e artisticamente.

Leia também:

Entrevista exclusiva do Action182 com Isaac Rentz, diretor dos clipes “Up All Night” e “After Midnight”

Entrevista exclusiva do Action182 com Mark Hoppus