Entrevista do Travis para a MTV.

Autor Por Danilo Guarniero em 04/06/2009

Confira a tradução da entrevista que o Travis fez para o site da MTV:

Travis Barker Fala sobre o remix “escuro e melancólico” de “3AM” do Eminem.

É uma das mais obscuras e sangrentas músicas de um album com músicas escuras e sangrentas. Foi por isso que Travis Barker percebeu que tinha que gravar uma versão de 3AM do Eminem.

“Primeiramente eu ouvi em alguns blogs e depois eu estava tipo ‘Cara, isso é demoniaco,’ e eu gosto de coisas como essa.” Barker riu. “Então eu falei com Paul Rosenberg (empresário do Blink-182 e do Eminem) e disse que queria fazer um remix dela, e aí eu e o Eminem conversamos e examinamos, colocando uma mistura com rock na música. E eu tive que fazer isso.”

Então, durante quatro dias muito curtos – durante pausas nos ensaios do Blink-182 para a turnê – Barker e seus engenheiros camaradas estabeleceram as guitarras e baixo (e claro, uma dose saudável de sua patenteada batida precisa na bateria). Ele enviou para o Eminem para alguns aprimoramentos e depois colocou a versão finalizada no Youtube. O resto é história.

“Não tem muitas músicas que eu ouço e viajo, mas essa é uma delas. A música é realmente obscura e melancólica, e foi por isso que queria fazer um remix dela,” Barker disse. “E foi legal, porque e eu tive que trabalhar com o Eminem, o produtor, algo que eu não acho que muitas pessoas possam fazer. Ele ouviu, fez alguns aprimoramentos e deu o OK.”

E para Barker, foi muito bom voltar para o mundo dos remixes – um mundo que ele dominou ao longo dos anos passados com seus remixes de “Low” do Flo Rida e “Crank That” do Soulja Boy. Ele teve que dar uma pausa nos seus remixes enquanto se recuperava de dezenas de cirurgias que enfrentou depois de escapar de um acidente de avião na Carolina do Sul, no ano passado.

“Eu não faço um [remix] desde que eu saí do hospital, então já era hora, sabe?” Disse Barker. “Esta é uma música muito boa, e quando coisas que eu gosto vêm até a mim, eu não abandono. Eu estava devendo um, e esse não sera o ultimo.”