“É ótimo dizer: ‘Eu sou o Mark do Blink182’.”

Autor Por Márcio Medeiros em 02/05/2009

Mark com a gripe suína? Nada disso, apenas uma leve inflamação na garganta! E ontem quando Mark chegou no estúdio ele encontrou essa declaração de amor do Travis:

Óbvio que essas não são as principais notícias sobre o Mark. Lembram quando ele foi para a Austrália e deu algumas entrevistas por lá? Pois bem, essa semana a Blunt Magazine com a matéria sobre o baixista foi publicada. A revista traz duas páginas com o Mark, uma delas com a entrevista, confira abaixo os scans da revista e no final do corpo desse post a tradução da entrevista:

Thanks to www.blink-182online.com

Quanto ao David, ele apareceu na Modcam no dia 15 de abril e falou sobre o dia que ele anunciou a volta do Blink-182. Confira o vídeo abaixo:

Estamos providenciando a tradução do áudio desse vídeo.

Saiu mais um pedaço do Fix Your Face Vol. 2 da dupla TRV$DJAM. Travis atualizou seu Twitter com o link. Para baixá-lo clique aqui.

E a última notícia vinda do Modlife é da mais nova banda a integrar o site. Confira aqui a página do KoRn.

___________________________________________

Tradução: pan182

Blunt Magazine: Porque o Blink 182 se reuniu depois de todo esse tempo?

Mark Hoppus: Eu acho que depois do acidente do Travis, nós ficamos juntos apenas como amigos, conversando. Acho que nós todos sentíamos falta do que tínhamos juntos. Nos quatro anos passados todos tiveram a chance de crescer e fazer as coisas que precisávamos e que queríamos fazer. Acho que todos nós estávamos no lugar onde nós queríamos o Blink denovo.

BL: Como a recuperação do Travis está indo?

MH: Travis está indo bem. Ele voltou a tocar sua bateria hoje, e eu estou muito empolgado por isso!

BL: Tom Delonge mencionou em algumas entrevistas do Angels & Airwaves depois da separação que o Blink era infantil e embaraçoso. Como você encara esse desgosto?

MH: Basicamente, todos nós dissemos coisas que não queríamos dizer nas entrevistas. Nós damos risada sobre isso agora. “Hey, e aquele monte de merda que nós dissemos uns para os outros nas entrevistas”. Tinham coisas que os dois lados diziam que não poderiam ter sido tratadas de outra maneira, mas acho que as pessoas gostam de um drama mais que tudo. Eu me lembro de fazer a primeira entrevista pelo +44 e o entrevistador continuava falando sobre Blink e Tom; “Tom disse isso” e “Tom disse aquilo” e realmente tentando atiçar alguma coisa. Travis disse: “Olha, foda-se Tom Delonge, vamos falar sobre nossa banda, que estamos fazendo agora. Vamos falar sobre nosso novo projeto. Ele tem as coisas novas dele e nós temos as nossas e está tudo bem.” As citações, claro, eram “Foda-se Tom Delonge!” [risos]. Pessoas gostam de um drama, e eu mais que todos. Nós apenas deixamos isso tudo isso rolar.

BL: O que o futuro aguarda para o +44 e o Angels & Airwaves? Elas vão continuar?

MH: Acho que sim. Eu amo o Shanne e o Craig. Eles são grandes guitarristas e bons amigos e eu adoraria fazer outro álbum com eles. Os planos do Tom são de continuar com o Angels & Airwaves com competência, mas agora todos os nossos esforços estão no Blink.

BL: Vocês já começaram a escrever para um novo álbum?

MH: Nós começamos a gravar idéias. Eu tive várias idéias que eu estive trabalhando como a gravadora estava pedindo por um projeto solo e também por um próximo álbum do +44. Tom teve algumas idéias também, então nós pulamos pra dentro e começamos a trocar idéias!

BL: Então como vocês determinam qual idéia vai funcionar pra cada banda?

MH: Ainda está no começo, então nós estamos sentindo as vibrações. Tem uma música que Tom trouxe como uma música do Blink e nós começamos a trabalhar nela, mas não parecia com uma música do Blink. Até mesmo o Tom achou isso e ele disse, “Eu não acho que isso soa como Blink. Isso soa como uma música do AVA.”. E eu e o Travis estávamos tipo, “É, você está certo”. Então essa provavelmente vai ser uma música do AVA. Tudo que eu tenho eu estou trazendo para o Blink, tudo que o Tom tem ele está trazendo para o Blink e o Travis está apenas tocando bateria, como sempre! Na verdade o Travis está mais do que escrevendo (por enquanto). Ele sempre escreveu conosco e foi incrível com os arranjos, e ele sempre vem com os mais impressionantes ritmos. Coisas que você nunca iria pensar. Mas ele é muito mais do que progressoões de acorde, composições nos teclados e batidas na bateria agora. É muito legal porque todos estão realmente trabalhando juntos em todos os aspectos da música.

BL: Como as influências da banda tem mudado com o tempo? Blink obviamente veio de um longo caminho, musicalmente, do estilo punk do Descendents no Cheshire Cat para o Self-Titled. O que inspira vocês agora?

MH: Eu realmente não sinto que nós somos uma banda de punk rock. Eu sei que temos fundamentos de punk rock e essa é a a essência do que nós somos. Na verdade não, eu vou voltar! Nós somos uma banda de punk rock! Acho que nós expandimos nossa visão do que o punk rock é. Eu acho que o novo álbum vai ser uma combinação de um monte de coisas diferentes. Essa é a magia do Blink-182. Eu acho que o Blink está no seu melhor quando todos nós temos idéias diferentes. Tom é muito imponente com suas metas. Ele é muito ambicioso: ele ouve U2, Coldplay, The Police e The Who. E acho que eu trago um elemento de coisas mais ‘indie’; bandas menores que talvez um monte de pessoas não conhecem. Travis está em todo o mapa musical. Ele virá no estúdio um dia e estará falando sobre uma banda chamada The Glitch Mob e depois, no outro dia vai estar todo “Eu amo aquele álbum das T.a.t.u” Quando os três estivermos juntos, acho que será uma estranha mistura de tudo isso.

BL: Você recentemente produziu o álbum do New Found Glory e está prestes a produzir o Motion City Soundtrack. Como você ficou do outro lado da mesa de mixagem?

MH: Eu nunca estive planejando produzir. Eu sempre gostei de descobrir novas bandas, descobrir novas músicas e tentar ajudar outras bandas que eu pensava ter muito talento e que não estivessem recebendo a atenção que mereciam. Eu realmente adorei o primeiro álbum do MCS, “I AM The Movie”, e nós colocamos eles na nossa turnê pela Europa e Japão. No final eles perguntaram se eu estaria interessado em produzir o próximo CD deles. Eu nunca produziria uma banda antes, mas eu amo muito estar em estúdio e eu amo tanto o processo de criação que eu trabalhei no álbum deles. Eu amei e depois outras bandas começaram a vir. É algo que eu realmente tenho o prazer de fazer.

BL: Em 2009, o Pop-Punk está de volta de uma grande forma. Como é ter bandas que estão com muito sucesso como o All Time Low, creditar o Blink como a razão deles existirem? Blink tem inteiramente o legado.

MH: É realmente incrível, é realmente louco. O estranho é que eu acordei há alguns dias atrás e percebi que “What’s My Age Again?” tem 10 anos! É 2009 e ela foi lançada em 99! Com as bandas, Panic At The Disco disseram que começaram como uma banda cover de Blink e All Time Low disseram que são grandes fãs. Um monte de bandas que estão aparecendo agora e mandando muito bem estão citando Blink com inspiração. É muito gratificante e desanimador, me faz sentir ótimo e velho ao mesmo tempo!

BL: Agora você está na Austrália para a MTV. Quando podemos esperar os shows do Blink de volta na Austrália?

MH: Eu estava no telefone como nosso empresário hoje. Será nesse verão. Será nos EUA e Canadá e depois disso no mundo inteiro. Eu mal posso esperar para voltar pra estrada. Na verdade essa é minha 12ª viagem à Austrália. É estranho porque eu estou fazendo essa entrevista pelo Blink aqui, estamos viajando, mas não temos as datas. Estamos gravando mas não sabemos como soa. Mas é realmente bom, não, é ótimo dizer: “Oi, eu sou o Mark do Blink-182.”

Tradução: pan182