É importante cuidar da saúde…

Autor Por Danilo Guarniero em 27/07/2009

O site “Sign On San Diego” publicou um artigo falando sobre a importância dos artistas tomarem os cuidados necessários com a saúde durante as turnês e terem sempre um médico pessoal junto com eles, com uma conversa com Tom DeLonge e o médico pessoal do Blink-182, Brian Weeks. Confira a tradução:

Brian Weeks não é a típica groupie de bandas de rock.
met-doctors_t350

Quando este otorrinolaringologista de San Diego se junta ao Blink-182, ele monitora como os três membros da banda de pop-punk –seus sistemas imunológicos, para ser exato – estão lidando com a pressão das performances ao vivo e as viagens constantes.

Eles estão dormindo bem? Eles estão bebendo líquidos suficientes? Eles pegaram alguma coisa das centenas de fãs que eles comprimentam a cada parada?

“O Blink vai fazer 56 shows em três meses e meio,” Weeks disse. “Eles estão praticamente tocando toda noite. É bastante esforço para a voz.”

Weeks, 40 anos, pretence à um clube exclusive – doutores que atende às necessidades de músicos.

Esses medicos tipicamente trabalham longe do brilho de seus pacientes famosos, porém a morte de Michael Jackson lançou um holofote neles.

Outros incidents relacionados à turnês receberam mais atenção.

Na segunda-feira, os Beastie Boys adiaram a turnê deles e o lançamento do álbum depois de anunciar que o vocalista, Adam Yaunch estava sendo tratado com câncer na tireóide. Depeche Mode voltou para a estrada no mês passado, após o vocalista David Gahan ter um tumor malígno removido da bexiga. E os membros da banda de rock Yes interrompeu a sua turnê de aniversário de 40 anos no ano passado depois que o líder Jon Anderson sofreu um ataque de asma e foi diagnosticado com insuficiência respiratória.

No caso de Michael Jackson, uma investigação segue o médico pessoal do ícone pop, que estava com ele quando Jackson morreu.

Os cuidados nunca foram tão grandes para manter os cantors e os outros membros das bandas saudáveis o suficiente para manter sua árdua rotina de shows.

Com as vendas de CD diminuindo, os artistas estão contando mais com venda de ingressos de shows e vendas de produtos para gerar renda. Ao mesmo tempo, os promotores e patrocinadores estão gastando mais dinheiro criando shows maiores que atraem público maior.

O rendimento de inressos de shows na America do Norte bateu o recorde de 4.2 bilhões, 7% a mais que o ano anterior, de acordo com a revista Pollstar. A venda de ingressos no mundo inteiro cresceu 13% no ano passado, de acordo com a Billboard Boxscore.

Os artistas sentem uma grande pressão a cada show, DeLonge disse.

“Nós chamamos Weeks porque há milhares de pessoas que aparecem em um show,” ele disse.

“Os artistas encaram alguns riscos com a saúde na Estrada que eles normalmente não encontrariam em casa.” disse Weeks.

Eles frequentemente comem tarde da noite após os shows e vão dormir logo em seguida, uma prática que pode causar problemas digestórios.

A hora de dormir pode ser irregular, devido a mudanças frequentes na rotina diária e fusos horários. O exercício físico no palco pode deixar difícil manter a hidratação apropriada, principalmente em climas quentes.

“Seu corpo está constantemente tentando achar um tipo de estabilidade,” DeLonge disse. “É como atletas profissionais, mas nós não somos atletas.”

Algumas das maiores doenças vêm dos fãs.

Durante as turnês, DeLonge tenta limitar seu contato físico com estranhos para minimizar os riscos de contrair resfriados ou o vírus influenza (gripe).

“Esses adolescentes são como pratinhos sujos usados em laboratórios,” ele disse. “Você está indo e pensa, ‘Uma dessas pessoas provavelmente tem gripe suína.’”

“Dormir em ônibus da turnê ou em hotéis diferentes toda noite tem seu preço,” disse Rob Halford, líder do Judas Priest. “Assim como a inflexibilidade de viajar através do país por meses.”

“Se você precisa lever alguém para cuidar da sua saúde, você deve fazer isso,” disse Halford, que mora em Hillcrest desde 1999.

A interação de Weeks com o Blink-182 vem desde 1990, quando ele era um estudante e conheceu a banda através do seu irmão, um promotor musical. Com o passar dos anos ele se tornou medico e amigo de todos os membros da banda.

“Nossas esposas são muito proximas e nossos filhos brincam juntos.” DeLonge disse.

Enquanto Weeks viaja regularmente com o Blink-182 quando abanda está em turnê, alguns artistas não caem na Estrada com algum medico pessoal.

“Se eu estou doente, eu fico em casa.” Disse Willie Nelson, ícone da música Country, 68 anos.

Normalmente, os locais dos shows oferecem medicos que estão disponíveis quando eles precisarem.

Dr. Reuben Farris, que atua em um consultório de medicina em Chula Vista, trabalha a Humphrey’s Concerts. Ano passado, Farris foi consultado por um cantor mais velho que tinha problemas em um dos seus joelhos.

Farris não identificou o artista, dizendo apenas que ele era membro dos “formandos de Woodstock.”

“Nós estamos vendo essas coisas porque um monte desses artistas estão envelhecendo.” Disse Farris.

Weeks planeja juntar-se ao Blink-182 em três trechos da turnê. Durante sua ausência na estrada, Weeks organiza outros medicos para ver seus pacientes que precisam de atendimento imediato.

Entre a comitiva de tatuados que acompanha o Blink-182, Weeks é carinhosamente conhecido como “Doutor B.”

Esse evento provisório como um doutor roqueiro permite que ele experimente um mundo radicalmente diferente do que ele vive normalmente.

“Eu tenho o prazer de quebrar o estereótipo de medico tópico.” Weeks disse.