Como o blink-182 se tornou tão influente?

Autor Por Márcio Medeiros em 09/02/2009

O site da MTV gringa postou uma matéria sobre como o blink-182 se tornou uma banda tão influente. Quem são as influencias e os influenciados, uma pequena retrospectiva da banda, a repercussão da volta e o que o blink significou para uma geração. É o blink-182 voltando.

Talvez sem nem saber – e definitivamente sem tentar de verdade – blink-182 se tornou de alguma forma uma das bandas mais influentes dos últimos 20 anos.

Isso pode soar como um pequeno exagero. Afinal de contas, esses não são os mesmos caras com a discografia de piadas sobre pintos? Aqueles que deram aos seus álbuns títulos como Enema of the State ou Take Off Your Pants and Jacket? Bom, sim. Mas eles também são os mesmos caras que contaram com Robert Smith no seu auto-entitulado álbum (ou não titulado… isso nunca ficou muito claro), os mesmos caras que cresceram e amadureceram e se tornaram excelentes escritores de música, e os mesmos caras responsáveis por linhas nebulosas com projetos como Box Car Racer e The Transplants.

Ainda, ignorando o amadurecimento, o Blink nunca se levou particularmente a sério, o que era outra razão para que eles fossem tão acessíveis. Eles transformaram as musicas complexas do Descendents e do Bad Religion em espirituosos-e-nãoameaçavel pop punk, o que significa, sem eles, não existiria o Fall Out Boy, o Paramore, ou o Fueled da Ramen Records. E eles usaram a sua fama para fazer o holofote brilhar para bandas desconhecidas até então como Jimmy Eat World, Motion City Soundtrack, Taking Back Sunday, Brand New and New Found Glory.

Quando eles entraram em hiatus indefinido em fevereiro de 2005, fãs lamentaram e uma geração de bandas que eles inspiraram surgiu na linha de frente, apenas acrescentando ao legado do blink. E quando, durante o Grammy no domingo, eles anunciaram que estavam retornando, esses mesmos fãs – e essas mesmas bandas – regozijaram.

Parece que todo mundo ainda ama o blink.

Formada em Poway, California, em 1992 – quando a irmã do baixista Mark Hoppus apresentou ele ao guitarrista Tom Delonge, que estava tocando em uma banda chamada Big Oily Men – eles recrutaram Scott Raynor e começaram a tocar na garagem dos Delonge. Originalmente com o nome Duck Tape, Delonge renomeou a banda em Blink, e eles gravaram pares de demos (musicas das demos ainda apareceriam de novo nos dois primeiros álbuns da banda). Atraindo a atenção de uma gravadora local, Cargo Music, eles lançaram seu cd de estreia, Cheshire Cat, em 1994. E como o álbum nunca teve muito impacto comercialmente, é frequentemente citado por bandas e fãs como um lançamento icônico. Pouco depois, eles atraíram a ira de uma banda Irlandesa chamada Blink, então foram forçados a mudar o nome para blink-182.

Em 1996, eles lançaram o Dude Ranch, e graças a singles de sucesso como Dammit e Josie, o album vendeu mais de um milhão de cópias. Enquanto estavam em turne para divulgar o album, eles se separaram do baterista Scott (sob misteriosas circunstancias) e chamaram Travis Barker – que estava em turne com o Aquabats – para ficar na bateria nas datas que faltavam da turne. Aconteceu que ele nunca mais deixou a banda.

Em 1999, o blink passou a ser reconhecido no circuito mainstream com o Enema of the State, que contava com a pornstar Janine Lindemulder na capa. Graças a uma sucessão de singles bem-sucedidos (e vídeos acima da media), Enema vendeu mais de 15 milhões de cópia ao redor do mundo, fazendo do blink o maior ato punk do planeta. Eles fizeram turnes ao redor do mundo (shows foram gravados para o seu The Mark, Tom and Travis Show) e até fizeram uma aparição no blockbuster American Pie.

Eles seguiram o sucesso do Enema com o Take Off Your Pants and Jacket, que lançou hits como First Date e The Rock Show, e sairam em turne com o Green Day. Durante a necessária pausa, Delonge gravou um album com seu projeto paralelo, Box Car Racer, enquanto Barker se juntou a Tim Armstrong do Rancid para formar o Transplants.

Os efeitos dos dois grupos aparentemente influenciaram o novo album do blink, um disco maduro e meio dark. Os fãs ficaram divididos em relação ao “novo blink”, mas ainda sim do album sairam singles como Feeling This e I Miss You. Eles sairam em turne com o No Doubt em 2004, mas tensões na banda – Delonge queria passar mais tempo com sua família – começaram a ficar evidentes. Em 2005, o blink cancelou abruptamente uma performance em um show beneficente, a pouco depois, o anuncio do hiatos indefinido foi feito.

Nos anos depois, Hoppus e Barker formaram o +44, Delonge prosseguiu com o lider do Angels and Airwaves. Os dois lados trocaram umas farpas nesse tempo, mas em Novembro do ano passado, Hoppus postou em seu blog que ele, Tom e Travis começaram a gastar um tempo juntos, e no mês passado, em uma entrevista exclusiva com a MTV News, ele disse no que dizia respeito a uma reunião do blink, “O futuro está aberto.”

Parece que nós não estávamos mentindo.

Tradução por shiko