Brasil, o país do futebol…será?

Autor Por nath em 27/09/2011

Ao ler o título dessa coluna, você pode achar que vou tratar aqui sobre o tal equilíbrio do Campeonato Brasileiro ou então sobre os variados amistosos que a Seleção Brasileira da CBF vem disputando. Pois bem, não vai ser sobre isso. Quero usar esse espaço aqui para falar de uma coisa bem maior que tudo isso: a Copa do Mundo de 2014. Talvez você que esteja lendo isso não goste de futebol. Mas continue, garanto que vai valer a pena! Afinal, você faz parte do país que vai sediar o evento em 2014, não é?

O “woohoo” veio logo com a confirmação. Sobrou até pro Cristo Redentor, coitado, que teve que dividir suas atenções com uma bandeira enorme exaltando a confirmação do Brasil como sede. Uns comemoram porque são simples fãs do esporte; outros, já estão pensando nas prováveis férias prolongadas que terão e os altos churrascos regados a cerveja que serão realizados durante os jogos do Brasil, da Argentina, da Alemanha, da Inglaterra e assim por diante. E tem grupo de pessoas (e me incluo neste grupo) que está totalmente dividido: por um lado, querem comemorar por ter a oportunidade de presenciar uma Copa do Mundo em seu país; por outro, está ficando cego com todos os absurdos que cercam o evento. Vamos aos fatos?

É claro que vocês estão acompanhando o crescimento diário dos custos dos estádios. Não estão? Pois deviam. Pensem só, é o dinheiro de vocês (ou dos pais de vocês) que está sendo utilizado para estuprar (pego esse termo emprestado do grande Mauro Cezar da ESPN) um dos maiores símbolos do futebol mundial, sem qualquer necessidade. Esse mesmo dinheiro será utilizado para construir estádios “faraônicos”, com capacidades máximas que, provavelmente, nunca serão utilizadas.

“Ah, mas é uma exigência da FIFA…”. PERA AÍ! A FIFA também fez exigências para a Copa de 2006 da Alemanha e nem todas elas foram cumpridas. O governo alemão, juntamente com a DFB (a federação de futebol do país), mostrou pro senhor Joseph Blatter quem é que mandava por ali: a população. Para aqueles que não sabem, a Veltins-Arena, localizada em Berlim, teria que ser demolida e reconstruída de acordo com a FIFA. Neste momento, entrou em ação o senhor Franz Beckenbauer, que botou a decisão nas mãos da população de Berlim. Um plebiscito foi realizado e os germânicos decidiram que o estádio passaria por uma reforma, de forma que o estádio atendesse às tais exigências da FIFA sem gastos absurdos. O mesmo serve pra Allianz Arena, localizada em Munique: o estádio foi construído porque o povo decidiu que assim seria. Você teve a oportunidade de opinar sobre o estupro do Maracanã ou do Mineirão ou sobre a construção (com isenção de impostos e toda aquela polêmica) do Itaquerão? É amigo, nem eu.

Na Polônia, foi CONSTRUÍDO um estádio para a Eurocopa de 2012. A construção contou também com um ginásio e um parque aquático. Acreditem: o preço final ficou abaixo do preço (ainda não final) da REFORMA do Maracanã. Aliás, todos os estádios construídos para a Eurocopa de 2012 (no total foram quatro, localizados na Polônia e na Ucrânia) ficaram com o preço abaixo dos estádios construídos ou somente reformados para a Copa de 2014.

Para não dizer que eu falei somente dos gastos com os estádios, no Rio de Janeiro, foram colocados painéis para esconder as comunidades carentes da cidade: 20 milhões de reais. Outra atitude tomada pelo governo do Estado, foi demolir casas pertencentes a essas comunidades carentes e construir prédios no lugar. Vendo assim, parece uma ótima iniciativa, mas infelizmente os moradores dessas casinhas não tem condições nenhuma de lidar com os gastos do novo apartamento. E os rumores que correm por aqui é de que o governo não irá indenizar essas pessoas, elas terão que tratar isso diretamente com as construtoras e empreiteiras.

Tudo isso não é nem metade dos gastos abusivos que serão feitos com a Copa de 2014, ainda tem muito mais. E o pior é saber que tudo isso que vai ser construído (se for realmente construído), depois vai ficar abandonado. O mesmo Beckenbauer que impediu uma bagunça na Alemanha, afirmou que o governo investiu mas teve retorno: se não financeiro, com ações culturais e em ganho de imagem. E nós, brasileiros, vamos ver esse retorno? Vamos poder desfrutar do “legado” da Copa do Mundo? Ou vai acontecer como no Panamericano, em que várias contruções estão agora totalmente abandonadas ou sendo utilizadas de forma irregular? A Vila do Pan está quase afundando de tanta infiltração, o parque aquático Maria Lenk virou criadouro de mosquito da dengue e a Arena HSBC (construída para os jogos de basquete) virou casa de show.

O que eu quero de você ao escrever essa coluna? Antes de tudo, eu quero que você tenha ao menos noção do que está rolando nos bastidores. Depois, eu quero que você perceba que você faz parte de tudo isso. Mesmo que você odeie futebol e que também me odeie por ficar no twitter narrando até jogo da segunda divisão do campeonato inglês, você já está envolvido no projeto da Copa, querendo ou não. E somos nós, brasileiros, que temos nas mãos o poder de mudar isso (assim como o povo alemão mudou totalmente o rumo das coisas por lá). Vamos nos manifestar na internet pedindo explicações dos gastos, pedindo a saída do Ricardo Teixeira, pedindo transparência do governo…mas vamos também procurar locais de palestras e debates onde possamos nos reunir e tomar uma atitude concreta. Não só pela Copa de 2014, mas por tudo que o nosso país tem passado nas mãos de pessoas que não estão nem aí pra gente. Quem sabe até lá a gente não mude alguma coisa? Eu quero poder gritar com sinceridade que “a Copa do Mundo é nossa” e ter a garantia de que o Brasil é um país de todos, e vocês?

PRA QUEM QUER MAIS:

Quem quiser mais informações, vale a pena visitar alguns sites como o da Associação Nacional de Torcedores, o site oficial da ESPN e o blog do Mauro Cezar (já citado neste texto).

Vamos perturbar a CBF através das redes sociais? Você pode fazer isso pelo Twitter ou pelo Facebook.

E pra quem é menor de idade: que tal mostrar essas informações pros seus pais? Talvez eles não saibam o que andam fazendo com o dinheiro deles!

 

Nathalia Araújo é newposter do Action182 e pretende trabalhar na área de jornalismo esportivo. Apaixonada por futebol, espera poder ter orgulho de ver seu país sediando uma Copa do Mundo e no final das contas poder cantar que “com o brasileiro, não há quem possa!”