nome da noticia

Fatos

Primeiro show que assistiu:
“Foi dos They Might Be Giants no velho Club 9:30 em Washington, no meu 16° aniversário. Haviam luzes por todos os lados, por causa de um outro show dos Gaye Bikers e do Acid. Eu não me lembro quais eram as bandas que abririam o show, mas nós gostávamos de todas elas, daí a gente encostou em alguns bancos do bar e tentamos parecer maneiros. Parecia que todos as outras pessoas que estavam no clube estavam fumando, então nós compramos um maço Marlboro de menta, de uma daquelas máquinas e demos o primeiro passo para nos deixar bem doentes. As pessoas estavam pulando pra cima e pra baixo. Eu voltei pra casa bem antes da minha galera e mesmo assim arrumei uma porrada de problemas, mas eu não tava nem aí.”

Melhor show:
“Eu tenho que dizer Bad Religion no Hollywood Palladium na turnê deles do Against The Grain. Eu cresci em um cubico de cidade do deserto e nunca tinha muitas chances de ir aos shows, então foi um imenso passo dirigir o caminho todo até Los Angeles para ver as bandas tocarem. Eu já era um fã muito assíduo desde uns quatros anos antes de eu ter a chance de vê-los tocar ao vivo e, porra, eu quase me borrei! Eu estava bem lá na frente, empurrado contra a grade, meu abdôme amassado por causa da força atrás de mim. Era totalmente diferente de tudo o que eu já tinha visto. Uma puta energia. Tão alto! Tão rápido! Eu me lembro do [vocalista] Greg Graffin saudando os surfistas-da-galera. Era um caos total, todo mundo suando pra caralho. Teve um garoto que apareceu com o nariz sangrando. Assim que voltamos para o carro depois do show, eu ficava pensando, ‘Puta que pariu, o que foi aquilo?’.”

Experiência mais assustadora:
“A guitarra do J Mascis [guitarrista do Dinosaur Jr.] estava alta pra caralho, e meus ouvidos zumbiram por 3 dias. Eu achei que nunca mais poderia ouvir de novo. Mas ainda assim, foi um show do muito foda.”

Artigo da Rolling Stone:
A mãe de Mark, Carrie, diz, “Mark sempre foi um garoto feliz. Bem esperto, ativo. Ele costumava fazer shows de criança.”
Hoppus não se lembra desses tais shows; de fato, muito de sua infância é uma bagunça. Ele era filho de um marinheiro e cresceu na periferia de Washington e no Sul da California. “Eu me dei muito bem com o divórcio dos meus pais,” ele diz relutante. Seus pais se separaram quando ele estava na 3ª série. Por dois anos, ele e sua irmã mais nova, Anne, pulavam de uma casa para outra. Quando ele estava na 5ª série, seu pai, Tex, se mudou para Monterrey para conseguir uma especialização (Tex agora trabalha para o Departamento de Defesa Norte Americano. Como seu filho diz, “Ele constroi bombas.”).
Anne ficou com Carrie; o jovem Mark foi com seu Pai. Um dia quando Mark chegava da escola, seu pai ainda estava no curso, então ele tinha que fazer o jantar, ver um pouco de TV e ir para a cama. “Eu estava morando sozinho na 5ª série”, ele lamenta. Naquela época, as notícias da cidade estavam cheias de notícias de um “matador de motocicleta.” Uma noite, quando Mark ouviu um motor de moto do lado de fora, ele ligou para sua mãe, chorando.
Na oitava série, Mark descobriu The Cure e The Smiths, e pela música deles ele se encontrou. Ele diz, “Aquela foi a primeira vez de todas que eu me senti bem na minha pele.”

Após o colégio, Hoppus retornou para California de Washington para ir para uma faculdade perto de San Diego. Isso significa que ele se juntava com Anne novamente. Ela havia crescido e se tornado uma punk e estava saindo com um dos melhores amigos de Tom DeLonge. Ela sabia que o Tom estava tentando formar uma banda, então ela o colocou em contato com seu irmão. No segundo dia de Mark na California, ele estava na garagem do Tom compondo.
Mark e Tom rapidamente descobriram que eles iriam rir das mesmas piadas, escrever as mesmas músicas, terminar as frases um do outro. Eles recrutaram o baterista Scott Raynor e gravaram uma fita demo para agendar alguns shows. Desinibidos da falta de algum talento, eles tocaram nas redondezas de San Diego e fizeram o álbum rudimentar chamado Cheshire Cat em 1995. Gravadoras maiores começaram a ligar, esperando assinar com o próximo Green Day. A banda lançou Dude Ranch pela MCA em 1997, uma vasta prova do talento deles foi o primeiro single, “Dammit”.

Top 10 bandas em 2001:
1. A.F.I.
2. New Found Glory
3. Jimmy Eat World
4. Midtown
5. Orange Fish
6. Alkaline Trio
7. Rival Schools
8. Saves The Day
9. Thievery Corporation
10. RX Bandits

Top 9 álbums em 2001:
1. Saves The Day – Stay What You Are
2. A.F.I. – Art Of Drowning
3. Jimmy Eat World – Bleed American
4. Alkaline Trio – From Here To Infirmary
5. Rival Schools – United By Fate
6. Fenix TX – Lechuza
7. Jay-Z – The Blueprint
8. Orange Fish – Stay Fishy
9. No Motive – Diagram For Healing