A história de quando o blink-182 tinha um “foda-se” em chamas no palco

Autor Por Danilo Guarniero em 10/01/2014

Agora, já que o blink-182 não aparece com nenhuma novidade sobre o novo álbum, uma história um pouco antiga da banda contada por Jeffrey Pereira.

Jeffrey Pereira — não, ele não é brasileiro — trabalhou na produção de shows do blink-182 durante alguns anos, incluindo performances em 2001 que abusavam da pirotecnia e continham a palavra “FUCK” em chamas. Acontece que ele recentemente encontrou essas quatro letrinhas enquanto fazia uma faxina e compartilhou um pouco com os fãs o que aquilo significava para ele.

Leia abaixo:

tumblr_mz4737YC2E1rp44cqo1_1280

“Fazendo uma faxina no estúdio e tirei essas coisas de onde estavam paradas durante os últimos 10 anos. Elas foram usadas na segunda turnê do blink-182 que eu fiz parte. Eles começavam os shows com essas quatro letras descendo do teto e ela era acesa em chamas. Nessa hora eu sempre via pais puxando seus filhos pelas mãos e saindo do recinto assim que percebiam que era um “fuck” enorme em chamas. Sempre serei grato por essas primeiras turnês do blink-182, trabalhando com Midtown e Taking Back Sunday. Algumas pessoas que eu mais tenho consideração são diretamente conectadas a essa época.”

Reconhece né?

tumblr_l6leyijqb41qcbhsao1_500
 

O próprio Tom já chegou a dar uma entrevista para o Craig Kilborn na época e falou sobre esse controverso “F-Word”, inclusive citando a mesma coisa que o Jeffrey disse no texto, sobre os pais puxando os filhos para fora dos shows.

O mais engraçado é que ele ainda diz na entrevista que o pior seria ter que contar às suas crianças no futuro sobre o motivo de haver um grande “foda-se” em chamas no meio do palco — assim que ele diz o palavrão, se toca que está em um programa e sua reação é impagável (veja a partir dos 7:00)

Tom DeLonge Fuck
The YouTube ID of jbcUVjHmGR0?t=1m54s is invalid.

Para finalizar, uma performance com o FUCK pegando fogo em ação. Relembre: