Blink-182 novamente no site da Rolling Stone

Autor Por rutinha em 24/03/2011

Confira abaixo uma matéria publicada no site da Rolling Stone. Nela, Tom fala sobre a mudança do som do Blink-182, o retorno da banda e avisa: Eles têm grandes planos. Confira!

Os caras do Blink-182 são homens mudados. Eles estão terminando seu primeiro albúm desde a separação em 2005 – e levando o que eles aprenderam durante os anos separados. O albúm ainda sem título que deve ser lançado no verão, se estenderá muito além do tolo e cativante pop-punk e de barulhos de guitarra, promete o guitarrista e vocalista Tom DeLonge: “tem um enorme stadium rock, elementos do punk e do indie rock com batidas drum’n’bass. É demais,” ele conta à Rolling Stone. “Nós queríamos juntar tudo o que temos feito e misturar em um pote e, claro, sem esquecer quem nós fomos ao longo da estrada.”

Os punks do sul da Califórnia que uma vez falaram incansavelmente de corações partidos, ereções e sobre crescer experimentaram muita coisa depois da última meia-década: novas bandas, programas de TV, casamentos, família e o acidente de avião do baterista Travis Barker em 2008, que ele quase não sobreviveu. Enquanto o Blink-182 começava a evoluir em um território mais profundo, escuro e pop no Self-Titled de 2003 (incluindo um dueto com Robert Smith do The Cure), os reunidos DeLonge, Barker e o baxista/vocalista Mark Hoppus estão ansiosos para mostrar um novo amadurecimento numa nova década.

“Eu quero ter certeza de que a gente não perca essa angústia,” explica DeLonge, 35, sobre o som de frustração e pegadas rápidas da banda. “Eu quero levar isso e utilizar num pacote muito moderno, utilizando instrumentações e fórmulas para te levar a lugares diferentes com uma música que não seja somente um pop-punk de três acordes com riffs. O que nós podemos fazer agora é pegar a essência do que era o Blink-182 e tranformar isso em algo que tenha um clímax gradual. É isso que me anima.”

Manter a nova música conectada com a história multi-platina da banda é o objetivo de Hoppus. “Ele está realmente ciente de quem nós somos e fazendo de tudo para não perder isso,” diz DeLonge. “Mark diz: ‘sim, mas por favor não esqueça como chegamos aqui.’ E eu só completo: ‘você está absolutamente certo!'”

O albúm auto-produzido terá entre 10 e 12 músicas novas e está sendo gravado no estúdio de Tom DeLonge em San Diego e em Los Angeles por Mark e Travis. Uma das faixas finalizadas é a cordial “Ghost on The Dancefloor”, que lembra de amores passados entre intros elevadas. “Travis disse que era muito emocionante para ele porque o lembrava de um amigo que ele perdeu no acidente de avião,” diz DeLonge. “É legal nos ver superando coisa desse tipo juntos. Essa é a cola em uma banda de rock disfuncional.”

Reunir a banda não era algo que DeLonge esperava, mas isso se tornou inevitável após o acidente do Travis. “Foi uma grande surpresa para mim,” ele diz agora. “Nós escrevemos um para o outro, foi uma separação muito estúpida. Depois do trágico acidente do Travis, foi muito fácil de perceber que tudo aquilo sobre o que estávamos brigando não era grande coisa e eu queria que ele ficasse bem.”

A banda se reconectou musical e emocionalmente durante turnê de verão em 2009, embora cada um mantenha seu projeto solo: DeLonge com sua banda Angels and Airwaves, Barker em sua carreira solo (ele acabou de lançar o seu albúm de hip-hop “Give The Drummer Some) e Hoppus com seu programa semanal na Fuse TV, “A Different Spin”. Mesmo com tudo isso, o Blink-182 será mais uma vez um projeto em tempo integral, com uma turnê mundial em arenas e festivais junto com o novo albúm neste verão.

“Nós tivemos muito sucesso, mas o Blink-182 veio disso: nós realmente fomos umas crianças ferradas do subúrbio. Por alguma razão, que realmente ressoou durante os anos noventa com um monte de outras crianças ferradas dos subúrbios,” diz DeLonge. “Agora todos dizem: ‘ok babacas, peguem de onde vocês pararam mas tragam suas habilidades para a mesa.’ É bom. Nós temos grandes, grandes planos.”

 

Tradução feita por Nathalia Araújo (@believemenaat).