" alt="nome da noticia">

Leia os destaques da matéria sobre o blink-182 na nova edição da Kerrang!

Autor Por Danilo Guarniero em 01/06/2016

1623_Blink_Slider

O blink-182 é a capa da nova edição da revista Kerrang! (1 de junho de 2016)

Na matéria, a banda deu alguns detalhes sobre o novo disco, California, mas basicamente o artigo traz informações que nós já temos, nada tão novo (o texto passa mais tempo falando sobre coisas que já sabemos sobre o novo disco e sobre o ambiente que o entrevistador está com o blink-182 do que novidades de fato). Abaixo você confere alguns pontos interessantes do texto:

Lembra que publicamos sobre uma possível participação especial de Patrick Stump (Fall Out Boy) no disco? Então, de fato o vocalista co-escreveu a música Sober, que é uma mistura de vozes ecoadas com batidas drum n’ bass, segundo Mark.

Existe uma música no disco que se chama No Future. Esse seria também o nome do álbum, mas poderia ser interpretado de forma errada. Travis diz que o nome da música também não tem nada a ver com a situação atual sem Tom DeLonge – a propósito, eles não estão mais falando sobre esse assunto (sobre a saída do Tom), apenas focam no futuro da banda e em fazer as coisas certas enquanto estão se divertindo.

Segundo Mark Hoppus, o disco é bem pra cima, energético e positivo, mas com uma camada obscura e esquisita.

Dada a atual situação, por que Mark e Travis não usaram as músicas novas no +44? Simplesmente porque “+44 foi algo que fizemos há um tempo e sentimos que essas músicas pertenciam mesmo ao blink-182,” segundo Mark Hoppus. Segundo ele,

Travis Barker comparou as gravações do novo disco com o Self-Titled, dizendo que: “o disco de 2003 levou um ano e meio para ser gravado e teve apenas uma música que ficou de fora,” enquanto o disco California teve mais de 20 (que podem até ser usadas para um EP no futuro ou uma versão deluxe – ou até mesmo usadas no próximo disco, mas Mark disse que ainda não eles ainda não têm certeza). Isso se deu ao modo como o produtor John Feldmann trabalha. Mark lembra que, algumas vezes, John dizia “eu vou ali fazer um café e, quando voltar, eu quero que vocês já tenham escrito um refrão para essa música.” No fim de um mês, pelo menos 26 músicas estavam compostas.

Segundo a Kerrang! (que já ouviu o disco inteiro), She’s Out Of Her Mind, é uma música com um toque do blink-182 clássico. Mark se empolgou com a comparação e ainda disse que essa é uma música com muitas partes marcantes. “É uma dessas músicas que simplesmente fazem sentido. Mas houve muito trabalho para fazer com que ela fizesse sentido – se é que isso faz sentido”

Home Is Such a Lonely Place é uma baladinha mais calma sobre “a ideia de perder pessoas que são muito importantes na sua vida,” de acordo com Mark Hoppus. Mas não se engane: apesar de ser calminha, Matt Skiba nota que, ainda assim, é uma música com bastante energia. A revista Kerrang! complementou dizendo que essa deve ser uma daquelas músicas que as pessoas acendem os isqueiros e levantam para o ar em shows – e provavelmente uma das favoritas das pessoas.

Sobre Matt Skiba ficar na banda: é permanente? Como ele está dividindo o tempo dele? Segundo o próprio, o foco total agora é o blink-182 e ele está se divertindo, fazendo o possível para estar presente o tempo todo. Pelo menos até o ano que vem, ele estará 100% comprometido com o Blink – apesar de deixar claro que o Alkaline Trio não acabou. Eles só estão em uma pausa e os outros integrantes também trabalham em projetos paralelos. Ano que vem será um ano trabalhoso para Skiba e para o blink-182 no geral, e é o máximo que eles têm planejado por enquanto.

_

A matéria completa (em inglês) com algumas fotos do blink-182 no estúdio onde passou algum tempo ensaiando arduamente para os próximos shows e para a turnê que começa dia 22 de julho:

Créditos ao usuário Revzer do Reddit (/r/blink182).

California, o novo disco do blink-182, será lançado no dia 1 de julho.