blink-182: 20 anos em 20 fatos – Dude Ranch

Autor Por Mona em 13/08/2012

Nos três anos seguintes, tudo que o blink-182 fez foi crescer. Ao longo das turnês que fizeram em 1995 e 1996, escreveram novas músicas e se divertiram, até que chegou a hora de gravar um novo álbum.

No Big Fish Studios, com o produtor Mark Trombino, foi feito o álbum que fez com que o blink-182 deixasse de ser uma banda promissora, e se tornasse uma banda que poderia desafiar qualquer um no topo das paradas. Durante o processo de gravação, Tom teve problemas com sua voz e Mark resolveu parar de fumar para preservar a sua, além disso, Scott machucou seus dois calcanhares, mas por fim, o álbum foi finalizado.

Com o álbum terminado e lançado em 17 de junho de 1997, a banda volta para a estrada, mais precisamente, para a Warped Tour. Agora com patrocínio da Billabong, a banda aparentava e soava melhor do que nunca. O line-up dos shows dos quais o blink-182 participada contava com bandas como Sick Of It All, Snot, Lagwagon, Social Distortion, Pennywise e Descendents: nada mal para aumentar seu reconhecimento.

Dude Ranch foi o último álbum de Scott Raynor com a banda, porém, no momento, tudo que o três amigos queriam era divulgar seu trabalho para o máximo de pessoas possível. Segundo os críticos, a primeira música genuinamente ótima do blink-182 foi Dammit, música que mal dá tempo para Mark Hoppus respirar, e é cheia de angústia adolescente e a esperança de que isso um dia vai passar. Outros singles do álbum foram Apple Shampoo, Dick Lips e Josie, que tem uma participação de Scott Russo, vocalista do Unwritten Law, nos backing vocals.

Os singles da banda tocaram nas rádios e televisões de todo o país, e surge então um momento decisivo para o blink-182, que queria dar seu próximo passo o quanto antes.