A história do Take Off Your Pants And Jacket (Parte II)

Autor Por camis182 em 17/10/2013

blink182rt

Tradução e segunda parte da matéria publicada pelo site AVclub.com sobre o álbum TOYPAJ. Se você ainda não leu a primeira parte deste artigo, clique aqui.

_

“Olhando para trás, eu percebo que sob aquele humor obsceno e comida mexicana, havia uma batalha,”, diz Hoppus no encarte. “Havia uma competição silenciosa entre Tom e eu – de quem poderia escrever os melhores refrões e as letras mais inteligentes. Estávamos mais protetores com as nossas idéias e menos propensos a dar qualquer ar de desentendimento.”

Naturalmente, isso levou a acaloradas divergências mediadas pelo Finn, que também produziu o Enema. Mas a banda fez o seu melhor e seguiu em frente quando a Alternative Press fez uma visita para uma reportagem de capa, para ver de perto o lançamento do novo álbum, e não revelou nenhum dos conflitos durante o acompanhamento das fases do novo álbum. O trio não era mais sorrisos – estava cansativo ficar nu no palco e um pouco confuso e ridicularizado pelas cenas TRL no vídeo de All The Small Things, mas essa já não era mais a mesma banda de Enema Of The State.

No artigo, DeLonge parecia sinalizar que seria uma das últimas músicas gravadas no Jacket, “What Went Wrong”. Esta foi uma das seis canções acústicas que fecharia as três diferentes edições de Jacket – metade sério e a outra metade boba (“Fuck A Dog”, “When You Fucked Grandpa”, por exemplo). No pós-mundo “Good Riddance (Time Of Your Life), toda banda punk parecia incluir uma música acústica em seus álbuns. DeLonge e Hoppus sempre começaram a escrever suas músicas de forma acústica, e o desejo deles em tentar algo diferente levou com que eles gravassem algumas delas em sua “forma original”, como mencionou DeLonge.

“Você cresce e pensa, ‘Porra! Quem liga pro punk rock?” disse ele no artigo. “ Existem tantas e ótimas formas de música por aí, e você cresce querendo escutar ou escrever alguma coisa, porque seus pais vão odiar.”

Como observou Hoppus, DeLonge estava ouvindo um pós-hardcore, e Barker estava provavelmente ouvindo tanto hip-hop quanto rock. O ampliação dos gostos musicais deles influenciaram o que eles escreveram, e mesmo que Hoppus tivesse amado fazer um outro Enema, ele se viu forçado a seguir uma direção diferente também.

“Eu agonizava em toda palavra que eu cantava,” diz ele no encarte. “Eu não me sentia bem escrevendo sobre os mesmos assuntos, e as letras muitas vezes se tornavam mais escuras e instrospectivas – músicas de amor viraram músicas de amor partido.”

Ele cita “Everytime I Look For You”, como um exemplo de mudanças de impulso do blink. Chamando-o de “monstro Frankenstein de elementos diferentes”, observa ele como as músicas começam com as guitarras distorcidas do DeLonge, e então seus versos com mais coro e mais pop, ambos com letras sombrias. As batidas do Travis foram do punk ao bombástico, levando a uma bela bagunça de pontes cheias e estridentes, e guitarras gritando.

O que Hoppus descreve pode soar abrasivo, mas “Everytime I Look For You” não é diferente disso. Na abertura da música, DeLonge distorce a guitarra com uma oitava (uma corda forte menor que a nota média), um grampo de bandas pop-punk em todos os lugares. Os vocais e baixo do Hoppus estão melódicos como sempre; se algo distingue “Everytime I Look For You” mais forte do que as música do Enema, foi a batida do Barker, que deu à música uma estrutura mais complexa. “Every Time” foi tão não-agressiva, que abriu a sequência de American Pie 2001.

Hoppus chama de Jacket “o disco permanente de uma banda em transição” no encarte da reedição, mas aquele título parece mais apropriado para o seu sucessor, self-titled de 2003, quando o blink-182 mudou drasticamente o seu som. (A banda não se importou em atravessar as emoções e escrever um outro hino dos “bons tempos e coisas do verão”). Para o blink-182, Jacket pode ser sentido uma partida notável do Enema, mas não ter tido muita relação com os fãs e críticos.

Uma revisão de quatro estrelas da Rolling Stones, observou que a banda “não ficou muito fora de sua textura – e que gostam de manter tudo leve, rápido e enérgico.” “Muita coisa não mudou desde que a última vez que falamos sobre o blink-182”, disse a AllMusic. Em uma revisão divertida e cáustica, a NME disse que Jacket poderia ser facilmente confundido com “qualquer uma das bandas sportz-punk que atualmente vem atravancando a MTV.

Anthem”, uma canção que ansiava por uma liberdade adulta, fechou o Enema Of The State, e “Anthem Part II”, abriu o Jacket, com uma declaração para o mundo adulto, em nome das crianças que “se estamos fodidos, a culpa é de vocês” – “if we’re fucked up, you’re to blame”. “É uma das melhores músicas do Jacket, com um coro de quatro acordes muito cativantes e apenas a quantidade ideal de uma rebeldia hipócrita, para adolescente cantarem juntos.

Jacket, foi o orgulho das crianças. Tanto quanto “First Date” e “The Rock Show”, para eles o álbum de purificação dos maiores fatores do estresse da vida adolescente: relacionamentos e família. Os membros do blink-182 podem ter se comportado como adolescentes, mas eles também tiveram o senso real da dor e ânsia infantil. As músicas “Adam’s Song” e “Stay Together For The Kids” irradiaram a dor do divórcio (fortemente esclarecida pela separação dos pais de DeLonge, quando ele tinha 18 anos). “Give Me One Good Reason”, celebrou  as crianças que lutam contra a maneira que foram criadas – “kids who fight against how they were brought up”, e que não querem e não se encaixam nisso – “who don’t want to and don’t fit in.”. “Story Of A Lonely Guy” narra as sensíveis angústias de caras estranhos e “Please Take Me Home” fala sobre amigos que se tornam casais.

Não eram músicas sobre a vida dos vinte e poucos anos.  Naquela época o blink-182 estava em seus 20 e poucos atrasados, e sentindo-se ainda mais inquietos e em desacordo sobre a sua música. Sem surpresas, logo veio a separação não muito tempo depois.

Take Off Your Pants And Jacket” foi o nosso confuso, incerto, doloroso, trágico para o desconhecido”, Hoppus escreve na reemissão do encarte. Eles dariam então, um salto ainda maior alguns anos mais tarde, mas Jacket foi o último beijo para o mundo adulto, antes mesmo que estivessem em um.

Para conferir a matéria original clique aqui.

Clique aqui e leia a primeira parte do artigo sobre a história do Take Off Your Pants And Jacket